5 Nutrientes Bons para o Cérebro Encontrados Somente na Carne, Peixe e Ovo

O cérebro humano é o objeto mais complexo do universo e é  também o órgão que consome, de longe, a maior parte da energia, em comparação ao seu peso. O cérebro é apenas cerca de 2% do peso corporal, mas utiliza 20% da energia. Este notável órgão tem evoluído ao longo de milhões de anos. Durante este tempo, os seres humanos eram onívoros, comemos carne e plantas. Existem muitos nutrientes nos alimentos que são absolutamente críticos para a função desse sistema delicado. Ao menos que os devidos cuidados sejam tomados, alimentos vegan podem causar deficiência de algumas substâncias importantes. Aqui estão 5 nutrientes que são muito importantes para o cérebro e somente encontrados em alimentos de origem animal.

Close up of sectioned plate with eggs, pork, salmon and steak
Close up of sectioned plate with eggs, pork, salmon and steak

1. Vitamina B12

Você sabia que nenhuma única população na história do mundo voluntariamente já adotou uma dieta vegan? Isso porque antes da era de suplementos, uma mudança na dieta tal teria começado a matar pessoas em poucos anos. A mais conhecida vitamina que o corpo não consegue produzir e só pode ser obtido a partir de alimentos de origem animal, é a vitamina B12. A vitamina B12 é uma vitamina solúvel em água e está envolvida na função de todas as células do corpo. Essa vitamina está diretamente ligada à formação do sangue e a função do cérebro. Deficiência que geralmente resulta em anemia, funções do cérebro danificadas, sintomas de distúrbios mentais e um cérebro menor. Há também evidências que ligam deficiência de vitamina B12 ao Alzheimer, que é a causa mais comum de demência nos países ocidentais. As únicas boas fontes alimentares de B12 são alimentos de origem animal como carne, peixe e ovos. Há uma deficiência generalizada entre os vegans e vegetarianos, que evitam esses alimentos. Em um estudo, 92% dos vegans e 47% de lacto-vegetarianos eram deficientes em nutrientes bons para o cérebro. Ser deficiente em B12 pode causar danos irreversíveis ao cérebro. Se os seus níveis são apenas ligeiramente menor do que deveriam ser, você pode ter sintomas como falta de memória, depressão e fadiga. Mesmo se você não está sofrendo sintomas clínicos da deficiência de vitamina B12, você ainda pode ser menos esperto do que deveria ser, quando se trata da ingestão de B12. Se você optar por evitar alimentos de origem animal, certifique-se de usar suplemento com vitamina B12, ou comer alimentos que foram enriquecidos com a vitamina. As algas são uma fonte potencial de B12, mas até o presente momento, o equilíbrio da deficiência de B12 em seres humanos, a partir das algas, ainda não é conhecido.
Resumo: A vitamina B12 é crítica para a saúde do cérebro e do sistema nervoso e é encontrada principalmente nos alimentos de origem animal. A deficiência pode causar vários efeitos adversos sobre a função cerebral.

2. Creatina

Todo atleta, bodybuilder e entusiasta da musculação conhece a creatina. É o suplemento de construção muscular mais popular do mundo, por uma boa razão. Estudos científicos mostram consistentemente, que a suplementação de creatina pode aumentar a massa muscular e funções de resistência. A creatina forma uma reserva de energia, onde é capaz de reciclar rapidamente ATP em nossas células. ATP é a “moeda de energia” das células, que em última análise, transforma em energia os nossos alimentos e armazenamento de gordura corporal. Durante os treinos que consomem muita energia em um curto espaço de tempo, a creatina nos dá mais força e ajuda esse resultado a render por mais tempo. A creatina não é na verdade um nutriente essencial, porque o fígado pode produzí-la a partir de outros aminoácidos. No entanto, este processo de conversão parece ser ineficiente. Cerca de 95% da creatina no corpo é armazenada no músculo esquelético. No entanto, a creatina também está concentrada no cérebro. Da mesma forma que os nossos músculos precisam de energia para realizar  trabalho, o nosso cérebro precisa de energia para fazer várias coisas … como pensar. Os vegetarianos que tomam suplementos de creatina veem melhorias no desempenho cognitivo, especialmente em tarefas mais complexas, enquanto não há nenhuma diferença para os não-vegetarianos. Isto implica, pois os vegetarianos têm uma deficiência de creatina que afeta negativamente a sua função cerebral. Os vegetarianos também têm uma menor quantidade de creatina no músculo esquelético. Suplementos de creatina são particularmente eficazes na melhoria do desempenho atlético desse grupo. Se você deve evitar a carne, considere complementar a sua alimentação com  Monohidrato de Creatina. Ele vai certamente fazer você mais forte e pode até fazer você mais inteligente também.
Resumo: A creatina é um nutriente importante no músculo e cérebro que ajuda a fornecer energia. Estudos mostram que os vegetarianos têm uma deficiência de creatina, o que leva a efeitos adversos para a função muscular e cerebral.

3. Vitamina D3

Tenho certeza que você já ouviu falar sobre a vitamina D antes de … receber enorme atenção nos últimos anos. A vitamina D é produzida a partir do colesterol na pele quando está exposta aos raios ultravioleta do sol. Hoje em dia, uma grande parte do mundo é deficiente deste nutriente essencial, que, na verdade, funciona como um hormônio esteróide no corpo. Muitas pessoas vivem onde o sol é basicamente ausente durante a maior parte do ano. Mas, mesmo em países onde o sol é abundante, as pessoas tendem a ficar dentro de casa e usar protetor solar quando vão para rua. Há duas formas principais de vitamina D na dieta: vitamina D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol). D2 vem de plantas,  D3 de animais. Estudos mostram que D3 é muito mais eficaz do que a forma vegetal. Há algumas boas fontes de vitamina D3 na dieta, por exemplo o bacalhau. O óleo de fígado de peixe é a melhor fonte. Os peixes gordos também contém alguns D3, mas você teria que comer uma quantidade enorme para satisfazer a necessidade do seu corpo. A deficiência de vitamina D está ligada a todos os tipos de doenças, incluindo doenças cardiovasculares e câncer. Baixos níveis de sangue, também têm sido associado a várias doenças do cérebro, incluindo a doença auto-imune de esclerose múltipla, depressão e disfunção cognitiva. Se ficar muito tempo no sol não é uma opção para você, a única maneira de obter D3, a partir de alimentos, é tomando óleo de fígado de bacalhau ou comendo muito peixe gordo. A alternativa é tomar um suplemento D3, que é altamente recomendado para pessoas que têm a deficiência diagnosticada.
Resumo: Uma grande parte do mundo é deficiente em vitamina D3, que só é encontrada em alimentos de origem animal. Uma deficiência deste nutriente essencial está associada com a depressão e diversas doenças.

4. Carnosina

A carnosina é um nutriente muito importante que você pode nunca ter ouvido falar antes. O prefixo Carno- é o termo latino para carne, como Carní-voro (carne comedor). É estritamente encontrada nos tecidos de animais, o que significa que vegans e vegetarianos consomem muito,a partir de suas dietas. A carnosina é criado a partir de dois aminoácidos e está altamente concentrada em ambos os tecidos do músculo e cérebro. É uma substância protetora contra vários processos degenerativos do corpo. A carnosina é um antioxidante potente, que inibe a glicação causada por açúcares  elevados no sangue e podem prevenir a ligação cruzada de proteínas. Por esta razão, a carnosina se tornou muito popular como suplemento anti-envelhecimento. Os níveis de carnosina são significativamente menores nos pacientes com transtorno cerebral, incluindo Parkinson e Alzheimer – as duas doenças neurodegenerativas mais comuns. Muitos pesquisadores têm especulado que os alimentos de origem animal podem proteger o cérebro e o corpo contra o envelhecimento, devido à sua grande quantidade de carnosina.
Resumo: A carnosina é encontrada estritamente nos tecidos animais. Este nutriente pode reduzir danos causados ​​pelo aumento da glicemia e podem ter fortes efeitos anti-envelhecimento.

5. Ácido Docosahexanóico (DHA)

Todo mundo preocupado com a nutrição, sabe que os ácidos graxos ômega-3 são extremamente importantes. O corpo humano não pode produzí-los, portanto, devemos obtê-los a partir da dieta. É por isso que o ômega-3 (e Ômega-6) são chamados de ácidos gordos “essenciais” – se não comê-los, ficamos doentes. Existem duas formas ativas de ômega-3 no corpo, EPA e DHA. O DHA é o mais abundante ácido gordo ômega-3 no cérebro e é crucial para o desenvolvimento normal do cérebro. Baixa ingestão de DHA pode afetar adversamente vários aspectos da função cognitiva e da saúde mental, especialmente em crianças. Também é muito importante para mulheres com idade fértil, porque o status de Omega-3 em uma mulher, pode ter efeitos profundos sobre o cérebro da prole. Para as pessoas que evitam suplemento animais, o óleo de semente de linho é uma grande fonte de ALA … uma composto vegetal de Omega-3. No entanto, o ALA tem que ser convertido em DHA para que funcione. Estudos mostram que este processo de conversão é notoriamente ineficaz em humanos. Por esta razão, os vegetarianos são mais suscetíveis a cair em deficiência deste ácido e a melhor fonte de DHA é o peixe gordo. Outras boas fontes são os produtos animais alimentados com capim e criados em pasto. Existem também algumas algas que podem produzir EPA e DHA.
Resumo: O DHA Omega-3 é fundamental para o bom funcionamento do cérebro. É encontrado principalmente em alimentos de origem animal como o peixe gordo. Estudos mostram que vegans e vegetarianos apresentam deficiência desta substância.

É necessário Comer derivados animais

Os humanos evoluíram comendo animais e plantas. No entanto, em alguns casos, podemos sobreviver sem um nem outro. O Inuit, por exemplo, sobreviveu sem plantas, mas eles tinham que compensar comendo mais carnes (e órgãos). No século 21, as pessoas podem sobreviver e funcionar sem alimentos de origem animal, se estiverem atentos em suplementar com nutrientes críticos. Antes da era da suplementação, remover alimentos de origem animal, levaria a uma morte lenta e dolorosa devido à deficiência de B12. Mas, apesar de funcionar sem plantas ou animais é possível … mas, não é o ideal. Da mesma forma que uma dieta à base de carne é saudável com um pouco de plantas, uma dieta à base de plantas é saudável com um pouco de animais. É recomendável que as pessoas que optam por evitar a carne por razões éticas, (pois não há nenhum motivo de saúde comprovado),  inclua pelo menos ovos e peixe gordo. É possível escolher fontes naturais, humanamente cultivadas. Mas, para aqueles que realmente decidirem remover todos os alimentos de origem animal da sua dieta … certifique-se de ser muito prudentes sobre sua dieta e suplemento, ou você pode acabar doente e com o cérebro funcionando mal.