5 Erros da Dieta de Baixo Carboidrato

Esse meu achado foi feito através do Livro A Arte e Ciência da Baixa – Carboidratos Vivo, dos Autores Dr Jeff S. Volek e Dr. Stephen D. Phinney, os dois são os maiores quando estamos falando de dieta de baixo carboidrato. Segundo eles, existem obstáculos que as pessoas se equivocam, o que pode levar a efeitos adversos e a resultados abaixo das expectativas. Para entrar em completa cetose e colher todos os benefícios metabólicos da dieta de baixo carboidrato, cortar apenas o carboidrato não é o suficiente. Se você não obtiver o resultado esperado, talvez você esteja cometendo um dos 5 erros abaixo:

erros-dieta-de-baixo-carboidrato

1. Comendo Muita Proteína

A proteína é um macronutriente muito importante, que a maioria das pessoas não consome o suficiente. O nível de saciedade da proteína é alto, o que justifica o aumento da queima de gordura, em comparação com outros alimentos. Amplamente falando, comer mais proteína pode levar à perda de peso e melhorar a composição corporal. No entanto, quem faz a dieta de  baixo carboidrato e come uma grande quantidade de alimentos de origem animal magra, pode acabar exagerando. Quando você come mais proteína do que seu corpo precisa, uma parte dos aminoácidos da proteína se transforma em glicose, através de um processo chamado glicogênese. Isso pode ser um problema das dietas de baixo carboidrato. A dieta cetogênica impede o seu corpo de entrar em cetose completa.

Resumo: A proteína pode ser transformada em glicose por meio de um processo chamado glicogênese e o consumo excessivo da proteína pode impedir o estado de cetose.

2. Comendo Muito Carboidrato

Não existe uma definição clara do que exatamente constitui uma “dieta baixa em carboidratos.” Alguns chamam de qualquer coisa que esteja entre 100-150 gramas de carboidrato por dia, o que é definitivamente, muito menos do que a dieta padrão ocidental. Muita gente pode atingir ótimos resultados dentro desta gama de carboidrato. Mas, se você quiser entrar em cetose e inundar a sua corrente sanguínea de cetona para fornecer ao seu cérebro, uma fonte eficiente de energia, então esse nível de ingestão pode ser excessiva. A auto experimentação é natural para descobrir a sua taxa ideal, pois isso depende de um monte de coisas, no entanto, a maioria das pessoas entram em cetose completa, com até 50 gramas de carboidrato por dia. Isso não dá muitas opções de carboidrato, exceto legumes e pequenas quantidades de frutos silvestres.

Resumo: Se você quiser entrar em cetose e colher os benefícios metabólicos completos de uma dieta de baixo carboidrato, o indicado é comer até 50 gramas de carboidratos por dia.

3. Assustado em Comer Gordura

A maioria das pessoas consomem as suas calorias, possivelmente de açúcares e grãos. Quando você remove esta fonte de energia com uma dieta, você substitui por algo ou você morre de fome, mas é claro, você deve adicionar gordura para compensar. Se você não fizer isso, você vai ficar com fome, se sentindo mal. Não há nenhuma razão científica para temer a gordura, contanto que você escolha as gorduras saudáveis: as saturadas, monoinsaturadas e o ácido graxo ômega-3, mantendo os óleos vegetais, ao mínimo, e eliminando as gorduras trans. Manter entorno de 50-60% do total das calorias, quando estiver em um plano de baixa caloria. De acordo com Volek e Phinney, a gordura em torno de 70% do total de calorias, pode ser ainda melhor. Para obter gordura nessa faixa, você deve escolher cortes gordos de carne e adicionar gorduras saudáveis ​​como a manteiga, banha de porco, coco e azeite nas suas refeições.

Resumo: Uma dieta muito de baixo carboidrato deve ser rica em gordura, caso contrário, você não vai ter energia suficiente para sustentar-se.

4. Não ser Paciente 

Seu corpo é projetado para queimar carboidrato. Então, se eles estão sempre disponíveis, o seu corpo escolhe usá-lo. Se você reduzir drasticamente os carboidratos, o seu corpo precisa para mudar para a outra fonte de energia … a gordura, que tanto vem de sua dieta ou seu corpo armazena a gordura . Pode demorar alguns dias para que o corpo se adapte à queima primária da gordura, ao invés de carboidrato. Durante esse período, você provavelmente vai se sentir inseguro. Isso é chamado de “gripe do baixo carboidrato” e acontece com a maioria das pessoas. A adaptação completa pode levar várias semanas. Por isso é importante ser paciente e rigoroso em sua dieta no início, para que essa adaptação metabólica te conduza à resultados satisfatórios.

Resumo: Pode demorar alguns dias para a “gripe low-carb” passar e várias semanas para a uma plena adaptação. É importante ser paciente.

5. Esquecendo de Abastecer o Sódio

Um dos principais mecanismos por trás das dietas de baixo carboidrato é a redução nos níveis de insulina. A insulina tem muitas funções no corpo, como a de contar as células de gordura para o seu armazenamento. Outra função da insulina, é a ligação com os rins para a o estoque de sódio. Em uma dieta low-carb, seus níveis de insulina caem e junto, o sódio. É por isso, que muitas vezes, as pessoas se livrar do excesso de inchaço dentro de alguns dias ao comerem pouco carboidrato. No entanto, o sódio é um eletrólito crucial no corpo e isto pode ser uma problemática, quando os rins o dispensam em demasia. Esta é uma das principais razões para as pessoas sentirem os efeitos colaterais das dietas de baixo carboidrato: tontura, fadiga, dores de cabeça e até mesmo prisão de ventre, são exemplos. A melhor maneira de contornar este problema é aumentando o sódio na dieta. Você pode fazer isso adicionando mais sal a seus alimentos, mas se isso não é o suficiente, então você pode beber uma xícara de caldo, todos os dias, como uma sopa no copo e fornece 2 gramas de sódio.

Resumo: dietas de baixo carboidrato (níveis mais baixos de insulina) faz com que os rins excretem o excesso de sódio do corpo. Isto pode conduzir a uma deficiência leve do sódio.

Conclusão Erros da Dieta de Baixo Carboidrato

As dietas de baixo carboidrato são uma cura potencial para alguns dos maiores problemas de saúde do mundo, incluindo a obesidade e a diabetes tipo II. No entanto, apenas aplicando rigorosamente, para obter os melhores resultados.