9 Mitos Ridículos sobre a Dieta de Baixo Carboidrato

Há muita desinformação sobre a dieta com baixo teor de carboidrato por aí. Alguns afirmam que a dieta de baixa carboidrato (Low Carb), seja a dieta ideal para o humano. Outras pessoas acreditam que é uma dieta da “moda” que é insustentável e potencialmente prejudicial. Este artigo lista 9 mitos comuns sobre as dietas de baixo carboidrato.

dieta-de-baixo-carboidrato2

1. Baixo Carboidrato é uma Dieta da Moda

O termo “dieta da moda” tem perdido o seu significado. Antes, o termo era usado para as perdas de peso acidentais, num curto prazo de popularidade. No entanto, hoje esse termo tem, basicamente, se tornado um abuso para as pessoas que não acreditam na Low Carb. Ainda hoje, muitas pessoas ainda chamam de dieta baixo carboidrato uma “moda” dieta e isso não faz absolutamente nenhum sentido, porque a o baixo teor de carboidrato demonstra-se ser eficaz em mais de 20 estudos científicos. O primeiro livro de Atkins foi publicado em 1972, cinco anos antes do primeiro conjunto de orientações dietéticas com baixo teor de gordura na América. Se olharmos ainda mais para trás, o primeiro livro low-carb foi publicado mesmo, em 1863 e era muito popular na época. A “moda” é apenas uma tentativa desonesta de argumento.

Resumo: A dieta de baixo carboidrato tem sido apoiado por décadas com mais de 20 estudos de alta qualidade em seres humanos. Chamá-la de “dieta da moda” é um mito ridículo.

2. É Difícil de se Manter numa Dieta de Baixo Carboidrato

Alega-se frequentemente que as dietas de baixo carboidrato são insustentáveis ​​porque restringem os grupos alimentares comuns e que estas reivindicações acabam levando à sentimentos de privação, induzindo as pessoas que estão fazendo a dieta, a desistirem e voltarem a ganhar o peso de volta. Isso faz sentido, mas a verdade é que todas as dietas restringem alguma coisa. Alguns restringem grupos alimentares ou macronutrientes, outros restringem calorias. A grande coisa sobre a low-carb é que esta dieta de baixo carboidrato leva a uma redução do apetite, de modo que as pessoas podem comer até a plenitude e ainda perder peso. Compare isso com uma dieta de restrição calórica, onde você não é autorizado a comer tranquilamente  e acabam por passar fome a maior parte do tempo. Tudo o que está sendo dito, não é argumentado com dados científicos, especialmente que a dieta de baixo teor de carboidrato é mais difícil de ser mantida do que as outras. Sob a análise de 19 estudos, que analisaram quantas pessoas chegaram ao fim das dietas, comparando a low-carb e as dietas de baixa gordura, chegou a um resultado misto, onde o maior número de pessoas do grupo de baixo teor de carboidratos chegou até o fim de compromissos que validam a dieta com eficácia. A média para as dietas de baixo carboidrato foi 79,51%, contra 77,72% do grupo de baixo teor de gordura. Não é uma diferença enorme, mas mostra claramente que as dietas baixas em carboidratos são mais bem toleradas do que a de baixa gordura.

Resumo: Os dados não suportam a idéia de que as dietas de baixo carboidrato são difíceis de serem cumpridas. Em comparação com a dieta de baixa gordura, a dieta de baixo carboidrato foi mais bem tolerada.

3. Maioria da Perda de Peso Vem da Perda da Água do Corpo

O corpo armazena quantidades significativas de carboidratos nos músculos e no fígado. Esta é uma forma de armazenamento de glicose, conhecido como glicogênio, utilizado para suprir o corpo com glicose entre as refeições. O glicogênio armazenado no fígado e músculos tende a se ligar à água. Quando cortam-se os carboidratos, as reservas de glicogênio diminuem e nós perdemos uma quantidade significativa de peso da água. Além disso, as dietas de baixo carboidrato levam a uma redução drástica nos níveis de insulina. Quando a insulina cai, os rins colocam o excesso de sódio e de água para fora do corpo. Por estas razões, as dietas de baixo carboidrato levam a uma redução substancial e quase imediata na perda de água. Isto é frequentemente usado como argumento contra dietas de baixo carboidrato, pois alega-se que a única razão para a vantagem da perda de peso é a redução do peso da água. No entanto, isso é falso. As dietas de baixo carboidrato reduzem o peso da água, mas os estudos mostram que também causam redução da gordura corporal – especialmente, a partir do fígado e da área abdominal onde a gordura da barriga prejudicial está localizada. Um estudo de 6 semana, sobre as dietas baixas em carboidrato, mostrou que os participantes perderam 3,4 kg de gordura e ganharam 1,1 kg de músculo. Além disso, a redução do peso da água é uma coisa boa. Não faz sentido usar um argumento desse contra as dietas de baixo carboidrato. Quem gostaria de carregar 4kg de excesso de água?

Resumo: As pessoas que admitem a low-carb perdem o excesso de água do corpo. No entanto, elas também perdem muita gordura corporal, especialmente na região do fígado e abdômen.

4. Dietas “Low Carb” são Ruins para o Coração

As dietas Low Carb tendem a serem ricas em colesterol e gordura, incluindo gorduras saturadas. Por esta razão, muitas pessoas questionam, que se aumenta o colesterol no sangue o risco de doença cardíaca também aumenta. No entanto, os novos estudos mostram que nem o colesterol da dieta de gorduras saturadas tem qualquer efeito significativo no risco de doença cardíaca. Ao contrário do que se costuma afirmar, as dietas Low Carb melhoram muitos fatores de risco importantes para doenças cardíacas:

  • Triglicerídeos diminuem.
  • HDL o colesterol ‘bom’ aumenta .
  • Pressão sanguínea tende a diminuir.
  • Resistência à insulina diminui, indicando reduções de açúcar no sangue e de níveis de insulina.
  • Inflamação pode ser reduzida na dieta de baixo carboidrato.

Os níveis de colesterol LDL não aumentam. As partículas também tendem a mudar de pequena, densa (mau) à grande, um padrão que está ligado a um risco reduzido de doença do coração. Dito isto, os estudos principalmente observam as médias. Há alguns indivíduos, que despertam grandes aumentos nos níveis de LDL, em uma dieta Low Carb. Estes indivíduos devem tomar algumas medidas para controlar esse níveis..

Resumo: Não há evidências de que o colesterol da dieta de baixo carboidrato e gordura saturada causam danos, além de estudos sobre as dietas de baixo carboidrato mostrarem, que os vários fatores de risco para doença cardíaca diminuem enquanto aplicado a Low Carb.

5. Dieta com Baixo Teor de Carboidrato Somente Funciona Porque as Pessoas Comem Menos Calorias  

Muitas pessoas afirmam que a única razão para as pessoas perderem peso com baixo carboidrato é por causa da redução do número de calorias. Isso é verdade, mas, a história toda não é só isso. A vantagem principal da perda de peso da dietas de baixo carboidrato é que a perda de peso ocorre automaticamente. As pessoas se sentem tão saciadas, que acabam comendo menos alimentos, sem precisarem contar calorias ou terem controle por meio de porções. Este efeito de redução do apetite é tão poderoso, que estudos comparando a low-carb e a dieta de baixa gordura, os grupos de baixo teor de gordura precisam restringir as calorias ativamente, a fim de tornar os resultados comparáveis. Mesmo quando os grupos de baixa gordura são de restrição calórica, os grupos de baixo carboidrato ainda acabam perdendo mais peso … às vezes 2-3 vezes mais! Além disso, as pessoas às vezes não percebem que as dietas de baixo carboidrato não são apenas sobre a perda de peso, elas também são muito eficazes contra certas condições de saúde, como a síndrome metabólica, diabetes tipo 2 e epilepsia. Nestes casos, os benefícios para a saúde vão muito além de apenas uma redução na ingestão de calorias. Dito isto, as dietas de baixo carboidrato podem ter uma pequena vantagem metabólica, pois tendem a ser ricas em proteínas, o que estimula o metabolismo.

Resumo: É verdade que as dietas de baixo carboidrato levam a uma redução na ingestão de calorias. No entanto, o fato de isso acontecer inconscientemente é um benefício enorme. As dietas de baixo carboidrato também têm benefícios para a saúde metabólica e vão muito além das calorias.

6. Baixo Carboidrato diminui a Ingestão de Vegetais Saudáveis

Uma dieta baixa em carboidratos não é significa ingerir ‘‘zero” carboidrato. É um mito que a dieta de baixo carboidrato seja cortar carboidratos que você precisa comer, muito menos os alimentos de origem vegetal. Você pode realmente comer uma quantidade muito grande de vegetais, frutas, nozes e sementes, sem exceder 50 gramas de carboidrato por dia. Além disso, comer 100-150 gramas de carboidratos por dia ainda é considerado um consumo baixo de carboidratos. Isso é o suficiente espaço para várias peças de fruta por dia e talvez até mesmo pequenas quantidades de amidos saudáveis, como a batata e a aveia. É capaz que o consumo de vegetais aumente, ao contrário do que se especula como um mito ridículo. Ao consumir adequadamente os carboidratos vegetais, a satisfação e a necessidade do corpo de vitamina C, potássio, fibras e outros nutrientes essenciais. Praticamente todos os livros sobre Low Carb recomendam que as pessoas comam grandes quantidades de alimentos vegetais saudáveis.
Resumo: É possível encaixar grandes quantidades de alimentos de origem vegetal na dieta Low Carb, mesmo com o consumo baixo de carboidratos. Produtos hortícolas, frutas, nozes e sementes são exemplos de alimentos vegetais saudáveis, baixos em carboidratos.

7. “Cetose” é um Estado Metabólico Perigoso

Há uma grande confusão sobre a cetose. Quando comemos muito pouco carboidratos (menos de 50 gramas por dia), os níveis de insulina caem e uma grande quantidade de gordura é liberada a partir das células de gordura. Quando o fígado fica alagado com ácidos gordos, ele começa a transformá-los em substâncias chamadas corpos cetônicos, ou cetonas. Estas moléculas são capazes de atravessar a barreira do sangue, fornecendo energia para o cérebro durante a inanição ou quando não comem carboidratos. No entanto, muitas pessoas parecem confundir “cetose” e “cetoacidose.” Este último é um estado metabólico perigos,  acontece principalmente na diabetes tipo 1. Ela envolve a corrente sanguínea e inunda com grandes quantidades de cetonas, o suficiente para fazer o sangue ácido. Cetoacidose é um negócio sério e pode ser fatal. No entanto, isso não tem absolutamente nenhuma relevância para a cetose causada por uma dieta baixa em carboidratos, que é um estado metabólico saudável. Como exemplo, os efeitos terapêuticos da epilepsia a ser estudados para o tratamento do câncer e contra as doenças do cérebro, como a doença de Alzheimer. A cetoacidose é terrível, mas a cetose é uma coisa boa. Os dois não são a mesma coisa.

Resumo: Uma dieta baixa em carboidrato leva a um estado chamado cetose metabólica, este estado não é a mesma que a cetoacidose,  que é perigoso, mas que só acontece em diabetes não controlada.

8. O Cérebro Precisa de  Glicose (Carboidratos) para Funcionar

Muitas pessoas acreditam erroneamente que o cérebro não pode funcionar sem carboidratos na dieta. Afirma-se ainda, que os carboidratos são o combustível preferido para o cérebro e que a necessidade gira entorno de 130 gramas por dia. Isso é parcialmente verdadeiro. Algumas células do cérebro não podem usar qualquer combustível, exceto a glicose (carboidratos). Contudo, outras partes do cérebro são, na verdade, perfeitamente capazes de utilizar a cetona como combustível. Se os carboidratos forem reduzidos o suficiente para induzir a cetose, logo, uma grande parte do cérebro pára de usar a glicose e começa a usar a cetona em seu lugar. Dito isto, mesmo com muita cetona no sangue, algumas partes do cérebro ainda precisam da glicose. Este é o lugar onde uma via metabólica, chamada gliconeogênese se torna importante. Quando não comemos carboidratos, o corpo (principalmente fígado), pode produzir a glicose a partir da proteína e subprodutos do metabolismo da gordura. Por causa da cetose e gliconeogênese, nós realmente não precisamos comer um único grama de carboidrato – não, pelo menos, com a finalidade de abastecer o cérebro. Após a longa fase inicial de adaptação, muitas pessoas relatam a melhora do funcionamento do cérebro com uma dieta Low Carb.

Resumo: Em uma dieta Low Carb, uma parte do cérebro pode usar as cetonas como combustível. O corpo pode então produzir uma pequena quantidade glicose para atender as outras partes do cérebro.

9.Dietas de Baixo Carboidrato Destroi o Desempenho Físico

A maioria dos atletas fazem uma dieta rica em carboidratos e muitas outras pessoas acreditam que os carboidratos são essenciais para o desempenho físico. É verdade que a redução dos carboidratos leva a um desempenho reduzido no início. No entanto, isso é normal e temporário. Pode levar algum tempo para que o corpo se adapte a queima de gordura no lugar dos carboidratos. Muitos estudos mostram que as dietas de baixo carboidrato são realmente boas para o desempenho físico, especialmente nos exercícios de resistência, até que as pessoas se adaptem à dieta. Outros estudos mostram que as dietas de baixo carboidrato tem efeitos benéficos para a massa muscular e força.

Resumo: Low-carb dietas não são prejudiciais para o desempenho físico para a maioria das pessoas. No entanto, pode demorar algumas semanas para que o corpo se adaptar.

Conclusão

Por fim, as dietas de baixo carboidrato têm benefícios poderosos para a saúde. as Low Carbs são muito eficazes para as pessoas com obesidade, síndrome metabólica e diabetes tipo 2. Dito isto, mesmo que dietas de baixo carboidrato sejam benéficas, elas não são a resposta para todos. Cursos diferentes para diferentes pessoas.

Dieta de Baixa Gordura: 12 Milhões de Razões para Fazer

O governo propõe muita coisa sobre nutrição e parece que a sabedoria convencional acaba convencendo muitas pessoas. Mas, como na literatura, as autoridades tradicionais parecem ter obtido conselhos de forma errada. Suas recomendações são baseadas em ciência que estão totalmente desacreditada nas últimas décadas. A dieta que todos parecem recomendar … um baixo teor de gordura, dieta de restrição calórica, já foi provado ser inútil. Em um estudo enorme que incluiu dezenas de milhares de pessoas, mulheres que seguem essa dieta por 7,5 anos acabam pesando apenas 0,4 kg a menos do que as mulheres que comem a dieta ocidental padrão. Também não se registrou efeito contra a doença cardíaca… qual é a razão de ainda estarem empurrando uma dieta que é provada ser ineficaz para as pessoas? Bem, há muitas boas razões para isso. Na verdade, existem dezenas de milhões de bons motivos. Acontece que as organizações que nos dizem o que comer, estão sendo patrocinadas pelas empresas de alimentos e medicamentos, com um investimento de milhões de dólares todos os anos. A dieta destas organizações recomendam manter as pessoas dependentes dos alimentos e medicamentos que essas empresas vendem. Há um conflito de interesse tão grande em curso, que não se pode confiar.

dieta-de-baixo-gordura

Academia de Nutrição e Dietética (AND)

A Academia de Nutrição e Dietética (AND) é “a maior organização mundial de alimentação e nutrição profissional” e anteriormente conhecida como a American Dietetic Association. A maioria dos profissionais de saúde associados e registrados são nutricionistas e técnicos dietéticos. Dietistas registados nos EUA recebem a sua licença a partir desta organização. O AND ainda tem uma revista de pesquisa, que é uma organização altamente influente na definição da política de nutrição pública. O AND recomenda que as pessoas comam uma  dieta de restrição calórica de baixa gordura e rica em grãos integrais, frutas, legumes, carnes magras, óleos vegetais e produtos lácteos com baixo teor de gordura. Eles incentivam o consumo de açúcar, como parte de uma “dieta saudável e equilibrada.”

Quem Patrocina o AND?

É assustador que esta organização de saúde altamente influente, que educa dietistas registados (RDS) e garante a eles as suas licenças, patrocina as empresas que vendem os alimentos que estão fazendo as pessoas gordas, doentes e diabéticas. Os patrocinadores corporativos da Academia de Nutrição e Dietética :

  • The Coca Cola Company
  • Pepsico
  • Kellogg’s
  • General Mills
  • Hershey’s
  • Truvia
  • SoyJoy
  • Abbott Nutrition
  • National Dairy Council
  • Unilever

Não acredita? Está no site oficial da AND. É capaz, que esta organização altamente influente esteja recomendando às pessoas que comam uma dieta de alto carboidrato, dieta baseada em cereais que inclui açúcar e por aí vai… por que os seus patrocinadores corporativos lucram? Se você quiser saber mais sobre os enormes conflitos de interesses da AND, leia o relatório condenatório criado por Michele Simon da Eat Drink Politics. Uma das muitas coisas descobertas neste relatório é que empresas como a Coca-Cola e Pepsico oferecem cursos de educação continuada para RDs … onde, entre outras coisas, eles são “ensinados” a confirmarem que o açúcar não é prejudicial para as crianças. E fica ainda pior … o AND está ativamente tentando aprovar leis postas em prática nos EUA, que proibem qualquer pessoa, que não seja um nutricionista registrado e licenciado, a dar aconselhamento dietético para os outros. Se eles puderem entrar no seu caminho, terão o poder de simplesmente, mandar qualquer um para a cadeia. Dica: não seja aconselhado a fazer uma dieta por qualquer pessoa que tenha sido patrocinado ou educado pelos gostos da The Coca Cola Company. Claro, isso não se aplica a todos os dietistas registados. Muitos deles seriamente opõem-se a este conflito de interesses e lutam ativamente contra esses laços financeiros.
Associação Americana de Diabetes (ADA)
A American Diabetes Associaton é uma organização sediada nos Estados Unidos e é dedicada à luta contra a diabetes … ou assim eles dizem. O seu objetivo declarado é o de financiar a pesquisa, prestar serviços e fornecer informação direta. Eles também recomendam que as pessoas comam um baixo teor de gordura e uma dieta rica em carboidratos. Segundo eles, os diabéticos devem comer 45-65 gramas de carboidratos por refeição. Qualquer pessoa com um conhecimento básico de bioquímica sabe que os carboidratos são quebrados em glicose e que isso causa picos de açúcar no sangue. Diabéticos não podem lidar com todo esse açúcar no sangue e precisam tomar drogas para diminuir esse quadro, caso contrário, eles ficam doentes e podem morrer. As pessoas que mais se beneficiam com as dietas de baixo carboidrato são os diabéticos, ainda, porque essa dieta foi provada ser muito mais eficaz contra a diabetes. Qualquer um com a metade de um cérebro pode compreender a bioquímica e facilmente vai entender como uma dieta alta em carboidrato pode causar danos a pacientes diabéticos … mantê-los dependentes de drogas é a intenção. Por que a American Diabetes Association recomenda uma dieta tão terrível que mantém as pessoas doentes? Talvez seus patrocinadores corporativos têm algo a ver com isso. Vamos ver quanto as empresas farmacêuticas pagam por este ‘excelente’ conselho:

  • Abbott Laboratories – 675.741$
  • Merck – 1.118.925$
  • Amylin Pharmaceuticals – 502.235$
  • Novo Nordisk – 3.606.495$
  • Eli Lilly and Company – 2.436.840$
  • BD Diabetes Care – 526.704$
  • GlaxoSmithKline – 145.325$
  • Pfizer – 185.073$

Uma soma total de 15 milhões de dólares no ano 2011. A ADA detém dinheiro de empresas que vendem drogas para tratar os sintomas de diabetes. Em seguida, eles dizem aos pacientes diabéticos a comer uma dieta que os mantém doente e dependente dos medicamentos vendidos por estas mesmas empresas. É importante ter em mente que essas drogas não são a solução real para o problema. É como se as pessoas fossem simplesmente tomar alguns comprimidos e algumas espetadas de insulina e vivessem felizes para sempre. A diabetes é uma doença progressiva e as drogas apenas mascarar os sintomas. Esta doença piora com o tempo, terminando em morte precoce ou doença cardíaca. A diabetes é uma das principais causas de cegueira e amputação. Recomendar uma dieta de alto carboidrato para diabéticos é um crime contra a humanidade, especialmente quando não há outra solução disponível e cientificamente comprovada para um resultado melhor.

Conclusão da Dieta de Baixa Gordura

Esta foi apenas uma amostra de duas organizações, em um país. As empresas de alimentos e drogas exercem sua influência em todo o mundo. Existem muitas outras organizações de saúde que recebem dinheiro de alimentos e medicamentos de empresas que têm interesse em manter as pessoas dependentes em comida ruim e drogas. É uma estimativa conservadora de que as empresas de alimentos e medicamentos pagam dezenas, se não centenas de milhões de dólares por ano às autoridades de saúde em todo o mundo, para influenciar a política e suas diretrizes. Não precisa ser do tipo de cara que acredita em ” conspirações ” – mas é difícil ignorar coisas como essas, quando os fatos estão bem na nossa cara.

Dieta de Baixa Gordura: Pode Acabar com sua Saúde Cardíaca

Realmente precisamos acabar com o mito que Dieta de Baixa Gordura por Agravar sua Saúde Cardíaca:

“O tema geral do que vai ser falado é que nós fomos enganados. A nós foi dado as informações erradas sobre os  alimentos e medicamentos de empresa, que são suportadas por pesquisas tendenciosas. Nós também fomos enganados pelo conselho patrocinado pelo governo sobre os alimentos que devemos comer e as drogas que devemos tomar.”

saude-cardiaca

A Recomendação de “Coração Saudável” com Baixa Gordura Estava Matando Você

Atormentado com níveis elevados de colesterol, triglicérides disparados e ganho de peso, um homem tentou fazer a coisa certa. Ele entrou numa dieta “saudável” – cortou parte da gordura e começou a se exercitar. Mas não funcionou … O conselho popular dado à ele por seus médicos não estava funcionando. No mais, ele estava matando. O médico recomendou que ele começasse a tomar estatina para abaixar a colesterol , mas o homem não deu ouvidos. Em vez de ir à farmácia, ele foi para a biblioteca. O que ele descobriu foi que as áreas de doenças cardíacas e nutrição são preenchidas com incompetência e conflitos maciços de interesse.

A Principal Corrente Erra

David (o homem em questão) descobriu que muitas das “verdades” que são perpetuadas pela mídia e até mesmo por profissionais de saúde, muitas vezes são completamente falsas. Os principais exemplos disso são as associações entre a ingestão de gordura saturada, colesterol e doenças cardíacas. A evidência simplesmente não é o que se diz vulgarmente. Ele também descobriu que a história da obesidade e como os médicos usam os redutores de carboidratos, já poderia ter curar a obesidade há 150 anos atrás, mas como este conhecimento se perdeu ao longo do caminho…

Os Guias Prontas de Baixa Gordura é Uma Má Escolha

As diretrizes de baixa gordura promovidas pelo governo são uma receita perfeita para a obesidade e diabetes. Curiosamente, profissionais de nutrição em todo o mundo ainda estão vendendo o mesmo conselho de baixo teor de gordura que falhou,  mesmo tendo sido repetidamente comprovado a sua eficácia em ensaios clínicos randomizados.