dieta-nordica

A dieta nórdica: uma análise sobre o método

A mais recente dieta a aparecer na mídia é a Dieta Nórdica.Defensores desta dieta afirmam que você pode melhorar a sua saúde comendo comidas “nórdicas”. Essas comidas são tradicionais e comuns para as pessoas dos países nórdicos.

dieta-nordica

Muitos estudos mostram que a dieta nórdica pode causar perda de peso e melhorar indicadores da saúde, pelo menos em curto prazo.Esse modelo de alimentação também está ligado ao fato de a taxa de obesidade nos países nórdicos ser bem mais baixa do que nos Estados Unidos.Este artigo explica tudo que você precisa saber sobre a dieta nórdica. O quê comer, o que evitar, benefícios para a saúde, uma pesquisa analisada com inúmeras dicas.

O que é a dieta nórdica?

Como o nome sugere, a dieta nórdica é um modo de se alimentar com foco nas comidas tradicionais dos países nórdicos (Noruega, Dinamarca, Suécia, Finlândia e Islândia). A dieta nórdica foi criada em 2004 por um grupo de nutricionistas, cientistas e chefes de cozinha, com o objetivo de tratar o aumento das taxas de obesidade e as práticas insustentáveis da agricultura nos países nórdicos. Comparado ao padrão de dieta ocidental, a dieta nórdica tem menos açúcar e gordura, o dobro de fibra e duas vezes a quantidade de peixe e frutos do mar.

Comidas certas e comidas a serem evitadas

A dieta nórdica enfatiza o crescimento local e sustentável dos recursos naturais, com um foco pesado nas comidas saudáveis, considerando a ideia principal da nutrição científica. Comer com frequência: Frutas, ‘berry’, verduras, legumes, batata, grãos integrais, nozes, sementes, pão de centeio, peixe, frutos do mar, laticínio com baixo teor de gordura, ervas, temperos e óleo de canola.

• Comer com moderação: carne de caça, ovos de quintal, queijo e iogurte.
• Comer raramente: carne vermelha e gordura animal.
• Não comer: bebida doce ou adoçada, carne processada, alimentos em conserva e ‘fast food’.

Atualmente a dieta nórdica assemelha-se a dieta feita no mediterrâneo. A principal diferença é o uso do óleo de canola ao invés do azeite extra virgem. Como muitos críticos indicam, muito das comidas presentes na atual dieta nórdica não faziam parte do cardápio das pessoas desses países.Dentre os alimentos estão os laticínios com baixa gordura e o óleo de canola, que são alimentos modernos e as frutas crescem com dificuldade no solo nórdico, com exceção dos ‘berries’.

Conclusão: A dieta nórdica utiliza os alimentos tradicionais dos países dessa região. A dieta nórdica é muito parecida com a dieta feita no mediterrâneo em diversas formas e se baseia profundamente em alimentos orgânicos e frutos do mar.

A dieta nórdica e a perda de peso

Inúmeros estudos avaliam os efeitos de perda de peso da dieta nórdica. Em estudo feito com 147 homens e mulheres obesos, os que fazem a dieta nórdica perderam 4,7kg, enquanto aqueles que se alimentam com uma dieta típica dinamarquesa perdem apenas 1,5 kg. O resultado é impressionante pelo fato de as pessoas não precisarem restringir o número de calorias digeridas. No entanto, em um estudo acompanhado, por volta de um ano depois, muitos dos participantes ganharam a maioria do peso de volta. Os resultados são muito comuns nos estudos à longo prazo. Pessoas perdem peso do início, mas com o passar de 1-2 anos o peso é retorna. Um outro estudo defende os efeitos de redução de peso da dieta nórdica. Durante o periodo de 6 semanas de estudo, o grupo que fez a dieta nórdica perdeu 4% do peso corporal em comparação às dietas padrões.

Conclusão: A dieta nórdica demonstra ser efetiva na perda de peso em curto espaço de tempo, mesmo quando as pessoas não são exigidas a restringir o consume de calorias.

Os benefícios da dieta nórdica

A alimentação saudável vai além da perda de peso. A boa alimentação pode ainda proporcionar melhoras significantes no metabolismo, diminuindo o risco de todos os tipos de doença.

Setembro é o mês de incentivo para comer peixes
Estudos examinam os efeitos da dieta nórdica com indicadores saudáveis.

Pressão sanguínea

No periodo de 6 meses de estudos com participantes obesos, a dieta nórdica reduziu a pressão sistólica e diastólica do sangue para 5,1 e 3,2 mm Hg, comparado a uma dieta controlada.Um outro estudo de 12 semanas encontrou uma redução significante na pressão diastólica do sangue em participantes com síndrome metabólica.

Colesterol e Triglicerídeos

Apesar de a dieta nórdica ser considerada elevada para um coração saudável, no que diz respeito a muitas comidas, os efeitos do colesterol e triglicerídeos são inconsistentes. Alguns estudos encontraram uma redução no triglicerídeo e nos efeitos do colesterol LDL e HDL, que aparentam ser tão pequeno que não são considerados uma estatística significante. Porém, um estudo encontrou uma leve redução na proporção de LDL-c/HDL-c e na proporção de Apo B/Apo A1, assim como na de non-HDL colesterol, que são todos fatores de alto risco de doenças cardíacas.

Controle do açúcar no sangue

A dieta nórdica não aparece como agente efetivo de diminuição dos níveis de açúcar no sangue, mas um estudo encontrou uma pequena redução de açúcar no sangue de pessoas em jejum.

Inflamação

Inflamação crônica é uma das principais causa principal de muitas doenças sérias.
Os efeitos da dieta nórdica na inflamação é misturado. Um estudo encontrou uma redução em indicador inflamatório CRP, enquanto um outro estudo não encontrou efeitos significantes. Um outro estudo descobriu que a dieta nórdica reduziu a atuação dos genes relacionados a inflamação do tecido adiposo do corpo.

Conclusão: A dieta nórdica demonstra-se efetiva na diminuição da pressão arterial. Os indicadores dos efeitos no colesterol, triglicerídeos e níveis de açúcar no sangue são fracos e inconsistentes.

Aspecto ambiental da dieta nórdica

A dieta nórdica pode ser boa escolha a partir da perspetiva ambiental. A dieta enfatiza os alimentos que são localmente cultivados e de forma sustentável. Alguns defensores da dieta defendem o consumo de alimentos orgânicos.

Mensagem para casa

As evidências por trás da dieta nórdica não são impressionantes. A dieta causa a perda de peso a curto prazo, alguma redução na pressão arterial e indicadores nas ações inflamatórias, porém os resultados parecem fracos e inconsistentes. No final do dia, qualquer dieta que enfatiza a comida de verdade em vez do padrão ‘junk food’ ocidental é capaz de conduzir a perda de peso e de causar melhorias na saúde. Isto é comprovado por centenas de estudos sobre diversas dietas diferentes. No entanto, não há nada mágico nos alimentos ” nórdicos “, ou em como ” comer como um viking . ” A dieta funciona porque substitui os alimentos processados e integrais. É isso aí.

Recomendados Para Você:

Publicado por

Fernando

Fernando Muniz tem 28 Anos, casado, pai de dois Filhos [Maria e Bernardo] e sempre teve uma alimentação muito desregrada e com isso ativou o EFEITO SANFONA na sua vida perdendo e ganhando peso de forma constante, com esse acervo de nutrição ele gostaria de ajudar mais pessoas a superar de uma vez por toda o sobrepeso, obesidade e o efeito sanfona, é nisso que eu acredito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *