Quanto de Vitamina D Devemos Consumir?

A vitamina D é absolutamente essencial para uma boa saúde. Também conhecida como a vitamina do sol, quando a pele é exposta ao sol. Apesar disso, a deficiência de vitamina D é uma das deficiências de nutrientes mais comuns em todo o mundo. Quase 42% da população adulta nos EUA têm baixos níveis de vitamina D, o que pode causar problemas de saúde. A vitamina D é particularmente importante para a saúde do osso e a função do sistema imunológico. Este artigo discute quanto de vitamina D você precisa.

vitamina-d

O que é a Vitamina D?

A vitamina D é uma vitamina solúvel em gordura que funciona como um hormônio esteróide no corpo. Existem duas formas de vitamina D na dieta:

  • Vitamin D2 (ergocalciferol): encontrado em cogumelos.
  • Vitamin D3 (colecalciferol): encontrado no óleo de peixe, óleo de fígado de peixe e gema de ovo.

A vitamina D3 é a mais poderosa dos dois tipos e aumenta os níveis sanguíneos da vitamina D em quase duas vezes comparando com a vitamina D2. As grandes quantidades de vitamina D também podem ser obtidas na pele quando estamos expostos aos raios ultravioletas da luz solar. Qualquer excesso de vitamina D é armazenado na gordura corporal para o uso posterior. Cada célula do seu corpo tem um receptor para a vitamina D. Esta vitamina está envolvida em muitos processos, que incluem a saúde óssea, função do sistema imunológico e a proteção contra o câncer.

Resumo: A vitamina D têm funções de um hormônio esteróide no corpo. Existem duas formas na dieta, D2 e D3. Também podem ser produzidos na sua pele quando em exposição à luz solar.

Como é a Deficiência de Vitamina D?

A deficiência de vitamina D é um problema em todo o mundo. No entanto, é especialmente comum nas mulheres jovens, crianças, idosos e pessoas que têm a pele escura. Cerca de 42% da população dos EUA é deficiente em vitamina D. No entanto, essa taxa sobe para 82% em pessoas negras e 70% nas hispânicas. Se você tiver acesso a um forte sol durante todo o ano, então a exposição ocasional ao sol pode ser o suficiente para atender suas necessidades de vitamina D. No entanto, se você vive ao norte ou ao sul do equador, seus níveis de vitamina D podem variar, dependendo da época. Os níveis podem cair durante os meses de inverno, devido à falta de luz solar suficiente. Nesse caso, você precisa confiar em sua dieta (ou suplementos) para suprir a vitamina D, bem como sobre a vitamina D que está armazenada na gordura corporal durante o verão. Nos adultos, a deficiência de vitamina D pode:

  • Fraqueza dos Músculos.
  • Intensifica a perda óssea.
  • Aumenta o Risco de fraturas.

Em crianças, uma grave deficiência de vitamina D pode causar atrasos no crescimento, bem como o raquitismo, uma doença em que os ossos se tornam moles. Além disso, a deficiência de vitamina D tem sido associada com vários tipos de câncer, diabetes tipo 1, esclerose múltipla, pressão arterial elevada e problemas de tireóide.

Resumo: A deficiência de vitamina D é muito comum em todo o mundo, mas ocorre em taxas mais elevadas em populações específicas. A deficiência em vitamina D está ligada à vários problemas de saúde.

Quanto Devemos Ingerir de Vitamina D?

Quanto de vitamina D nós precisamos consumir, depende de muitos fatores. Dentre eles incluem idade, raça, latitude, estação, exposição ao sol, roupas e muito mais. As recomendações do Instituto de Medicina dos EUA sugerem que uma ingestão média diária de 400-800 UI, ou 10-20 microgramas seja adequado para 97,5% dos indivíduos. No entanto, alguns estudos demonstraram que a dose diária deve ser maior do que se não tiver a possibilidade de estar exposto ao sol. Dependendo de quem você vier a perguntar, os níveis sanguíneos acima de 20 ng / ml ou 30 ng / ml são considerados como “suficiente”. Um estudo com adultos saudáveis ​​mostrou que era necessária uma ingestão diária de 1.120-1.680 UI para manter os níveis de sangue suficiente. No mesmo estudo, os indivíduos que estavam deficientes em vitamina D, precisavam de 5000 UI para atingir os níveis de sangue acima de 30 ng / ml. Já nos estudos realizados com mulheres pós-menopáusicas, com níveis de vitamina D abaixo de 20 ng / ml descobriram que a ingestão de 800-2.000 UI elevou os níveis sanguíneos acima de 20 ng / ml. No entanto, eram necessárias doses mais elevadas para alcançar os 30 ng / mL. Os indivíduos com sobrepeso ou obesidade, também pode precisar de maiores quantidades de vitamina D. Todas as coisas consideradas, uma ingestão diária de vitamina D de 1000-4000 IU, ou 25-100 microgramas, deve ser suficiente para garantir os níveis sanguíneos num patamar ideal na maioria das pessoas. 4000 UI é o limite superior de segurança de acordo com o Institute of Medicine (IOM). Certifique-se de não tomar mais do que isso sem consultar um profissional de saúde.

Resumo: A ingestão de vitamina D é recomendada a 400-800 UI / dia, ou 10-20 microgramas. No entanto, alguns estudos sugerem que uma dose diária mais elevada de 1000-4000 IU (25-100 microgramas) é necessário para manter os níveis sanguíneos ótimos.

Qual o Nível Ótimo de Vitamina D no Sangue?

Os níveis sanguíneos de vitamina D são avaliados através da medição de 25 (OH) no sangue, que é a forma de armazenamento de vitamina D no corpo. Porém, tem havido algum debate sobre a definição sobre os níveis sanguíneos ótimos. O Instituto de Medicina (IOM) e o Conselho de Nutrição Nórdica baseiam suas recomendações nos seguintes níveis sanguíneos:

  • Suficiente: 25(OH)D > 20 ng/ml (> 50 nmol/l).
  • Insuficiente: 25(OH)D <20 ng/ml (<50 nmol/l).
  • Deficiente: 25(OH)D < 12 ng/ml (< 25 nmol/l).

Estas organizações afirmam que os níveis de sangue superiores a 20 ng / ml, satisfazem os requisitos de vitamina D de mais do que 97,5% da população. Um comitê na IOM não encontrou maiores níveis sanguíneos para ser associada a quaisquer benefícios adicionais de saúde. No entanto, outros especialistas, incluindo a Sociedade de Endocrinologia, recomendam níveis mais altos, mais perto de 30 ng / ml (75 nmol / l).

Resumo: os níveis de vitamina D são geralmente consideradas suficientes quando acima de 20 ng / mL (50 nmol / L). No entanto, alguns especialistas afirmam que os níveis sanguíneos acima de 30 ng / ml (75 nmol / l) são óptimos.

Quais São as Principais fontes de Vitamina D?

Você encontra a Vitamina D por meio de:

  • Exposição ao sol.
  • Alimentos que contêm vitamin D.
  • Suplementos.

A ingestão de vitamina D é geralmente muito baixa, uma vez que muito poucos alimentos contêm uma certa quantidade. Os alimentos que oferecem mais vitamina D são os peixes gordos como o salmão, bem como óleos de fígado de peixe. As gemas de ovos também contêm pequenas quantidades e em alguns países o leite e os cereais são enriquecidos com vitamina D. No entanto, os suplementos estão disponíveis quase em toda parte há uma boa variedade de suplementos de vitamina D3, basta procurar.

Resumo: As principais fontes de vitamina D são a luz do sol, peixes gordos, gema de ovo, óleos de fígado de peixe, alimentos fortificados e suplementos.

Podemos Conseguir o suficiente de Vitamina D apenas Pelo Sol?

A exposição ao sol de verão é a melhor maneira de obter a quantidade suficiente de vitamina D. No entanto, a quantidade de luz solar necessária varia. Os indivíduos mais velhos e pessoas de pele escura produzem menos vitamina D na pele. A localização geográfica e a estação do ano são muito importantes, porque a vitamina D não pode ser produzida durante todo o ano em países que estão longe do equador. Mesmo que o sol esteja brilhando, não é necessariamente forte o suficiente para produzir a vitamina D. Aqui estão alguns fatos sobre a produção de vitamina D conseguida pelo sol:

  • Em mais de 70, posicionado no norte, nenhuma vitamina D é produzida durante os meses de inverno.
  • Mais ao norte, em países como a Noruega, nenhuma vitamina D é produzida a partir de outubro até março.
  • Fatores como roupas, tempo, poluição, uso de protetor solar, peso e genética também pode afetar a capacidade do corpo de produzir vitamina D.

Sob forte sol, expor os braços e pernas de 5 à 30 minutos é normalmente o suficiente para satisfazer as necessidades diárias da maioria das pessoas de pele clara. As pessoas com pele mais escura pode precisar de um pouco mais de tempo. Um estudo mostrou que a exposição solar prolongada durante o verão seja o suficiente para garantir os excelentes níveis de vitamina D durante o inverno, independentemente da ingestão de vitamina D. No entanto, se você vive longe do equador, você provavelmente precise consumir suplementos ou alimentos que contêm vitamina D.

Resumo: Os requisitos de vitamina D podem ser satisfeitos apenas pela luz do sol durante o verão. Durante o inverno e para aqueles que vivem longe do equador, pode  ser necessário o uso de suplementos.

Quanto é Exagero?

As informações sobre a overdose de vitamina D está desatualizada e a toxicidade é extremamente rara. Ela está associada com quantidades perigosaa de cálcio e fosfatos no sangue, juntamente com os baixos níveis de hormônio da paratiroideia. Isto é tipicamente visto nos indivíduos que tomaram acidentalmente ou intencionalmente doses extremas de vitamina D por um longo período de tempo, tais como 50,000-1 milhões de UI / dia durante meses. O nível superior de ingestão inofensivo é de 4000 UI, ou 100 microgramas, por dia. No entanto, até 10.000 UI por dia, nãorevelou ser a causa de danos aos indivíduos saudáveis. Dito isto, muitas poucas pessoas realmente precisam de mais do que 4000 UI por dia. Um estudo com 17 mil pessoas que tomam doses variáveis ​​de vitamina D, até 20.000 UI / dia, não demonstrou quaisquer sinais de toxicidade. Os seus níveis sanguíneos eram ainda mais baixos do que a gama superior do intervalo normal, que é de 100 ng / ml, ou 250 nmol / l. Além disso, não é possível ter overdose de vitamina D a partir da luz solar. Tenha em mente que, apesar das grandes doses não serem susceptíveis a causar dano ou toxicidade, elas são totalmente desnecessárias.

Resumo: O nível de consumo máximo recomendado de vitamina D é de 4000 UI / dia. No entanto, as dosagens ainda mais elevadas demonstraram ser seguras em alguns estudos.

Conclusão

A vitamina D é essencial para a saúde dos ossos e muitos outros aspectos da saúde. Uma deficiência é extremamente comum, mas pode ter graves conseqüências de saúde para as muitas pessoas. Se você está pensando em adicionar mais vitamina D na sua dieta, considere os seguintes fatores:

  • Se você mora em algum lugar onde não tem sol o ano todo, então você pode precisar de doses extras de vitamina D.
  • Se você não tem acesso ao sol, suplementos de vitamina D3 de 1000-4000 IU (25-100 microgramas) deve ser o suficiente para a maioria das pessoas.
  • A única maneira de saber se você realmente precisa tomar um suplemento de vitamina D é tendo os seus níveis sanguíneos medidos.

Por fim, a vitamina D é altamente importante. Corrigir uma deficiência é simples, barato e pode levar à benefícios para a saúde.

Benefícios da Pimenta para Saúde

As pimentas são conhecidas pelo paladar quente. Elas são membros da família das solanáceas, relacionadas ao tomate de sino e pertencentes a uma espécie conhecida cientificamente como Capsicum annuum. Existe uma variedade de pimentas, como caiena e jalapenos. As pimentas são utilizadas principalmente como especiarias ou como ingredientes menores em vários pratos, misturas de especiarias e molhos. Elas são normalmente consumidas cozidas ou secas e em pó, que formam a conhecida páprica. A capsaicina é o principal composto vegetal bioativo nas pimentas, responsável ​​pela pungência exclusiva do paladar quente. Existem pimentas de várias cores, a mais comum são as verdes (imaturas) e as vermelhas. As pimentas frescas são compostas principalmente de água (88%) e carboidratos (9%).

beneficios-da-pimenta

Vitaminas e Minerais

As pimentas são ricas em vitaminas e minerais. No entanto, uma vez que são consumidas em pequenas quantidades, a sua contribuição para a ingestão diária é muito pequena.

Vitamina C: As pimentas são muito ricas em vitamina C. A vitamina C é um poderoso antioxidante, importante para a cicatrização de feridas e função imunológica.

Vitamina B6: A família de vitaminas do complexo B, alguns dos quais têm funções importantes no metabolismo de energia.

Vitamina K1: Também conhecida como filoquinona, a vitamina K1 é essencial para a coagulação do sangue, ossos e rins saudáveis.

Potássio: um mineral essencial na dieta que tem uma variedade de funções no corpo. A ingestão adequada de potássio pode reduzir o risco de doença cardíaca.

Cobre: ​​O cobre, que muitas vezes faltam na dieta ocidental,   é um antioxidante essencial, importante para ossos fortes e neurônios saudáveis.

Vitamina A: As pimentas vermelhas são ricas em beta-caroteno, que é convertido em vitamina A no organismo.

Conclusão: As pimentas são ricas em várias vitaminas e minerais, mas elas geralmente são consumidas em pequenas quantidades, assim não contribuem significativamente para a ingestão diária de nutrientes.

Outros Compostos Vegetais

As pimentas são uma rica fonte de capsaicina, substância picante e quente. Elas também são muito ricas em antioxidantes carotenoides, ligados a inúmeros benefícios para a saúde. Aqui estão os principais compostos vegetais bioativos nas pimentas:

Capsantina: O principal carotenoide das pimentas vermelhas, responsável por sua cor vermelha e responsável por até 50% do total de carotenoides. Suas poderosas propriedades antioxidantes podem atuar contra o câncer.

Violaxantina: O principal antioxidante carotenoide em pimentas de pimentão amarelo, sendo responsável por 37-68% do total de carotenoides.

Luteína: A mais abundante no verde (imaturo) da pimenta, os níveis de luteína diminuem com a maturação. O alto consumo de luteína tem sido associado à melhoria da saúde ocular.

Capsaicina: Um dos compostos vegetais mais estudados da pimenta. Ele é responsável pelo sabor picante (quente) e muitos dos efeitos saudáveis.

Ácido Sinápico: Um antioxidante, também conhecido como ácido sinapínico. Ele tem vários benefícios à saúde.

Ácido Ferúlico: Da mesma forma que o ácido sinápico, o ácido ferúlico é um antioxidante que pode ajudar a proteger contra várias doenças crônicas. O conteúdo antioxidante das pimentas maduras do pimentão é muito maior do que as pimentas imaturas (verdes).

Conclusão: As pimentas são ricas em compostos vegetais antioxidantes, associados a vários benefícios à saúde. O mais notável é a capsaicina, que é responsável pelo sabor pungente da pimenta.

Benefícios Saudáveis da Pimenta

Alívio da Dor

A capsaicina, o principal composto vegetal bioativo da pimenta, tem algumas propriedades únicas. Ela se liga com os receptores da dor, que são terminações nervosas que causam a dor. Isso induz a uma sensação de queimação, mas na verdade não causa quaisquer ferimentos reais. Mesmo assim, o alto consumo de pimenta (ou capsaicina) pode danificar os receptores de dor ao longo do tempo, causando  falta de sensibilidade ao sabor ardente da pimenta. A capsaicina também faz com que esses receptores de dor insensíveis a outras formas de dor, como a azia, causada pelo refluxo ácido. Um estudo mostrou que, quando pimentas vermelhas (2,5 g/dia) foram dadas a pacientes com azia (dispepsia) piorou a dor no início do tratamento de 5 semanas e melhorou progressivamente ao longo do tempo. Isto é suportado por um outro pequeno estudo: 3g de pimentão por dia, durante 6 semanas, melhorou a azia em pacientes com refluxo ácido. O efeito dessa falta de sensibilidade não parece ser permanente e um estudo descobriu que ela foi revertida de 1 a 3 dias após o consumo da capsaicina ser interrompido.

Perda de Peso

A obesidade é uma condição de saúde grave que aumenta o risco de muitas doenças crônicas, como doenças cardíacas e diabetes. Há alguma evidência que a capsaicina, um composto vegetal das pimentas, pode promover a perda de peso, reduzindo o apetite e aumentando a queima de gordura. Na verdade, os estudos mostram que 10 gramas de pimenta vermelha podem aumentar significativamente a queima de gordura, tanto em homens como em mulheres. A capsaicina também pode reduzir a ingestão de calorias. Um estudo realizado em 24 consumidores regulares de pimenta descobriu que a capsaicina ingerida antes de uma refeição, leva a redução da das calorias ingeridas. Outro estudo encontrou uma redução significativa no apetite e no consumo de energia, sobretudo para aqueles que consumiam moderadamente a pimenta. Nem todos os estudos garantem a eficácia da pimenta. Apesar das evidências, verifica-se que o consumo regular de pimentas vermelhas, ou suplementos à base de capsaicina, pode ser útil na perda de peso, quando combinado com outras estratégias que sustentam a vida saudável. No entanto, elas não são tão eficazes por conta própria; a tolerância aos efeitos da capsaicina pode desenvolver-se ao longo do tempo, o que limita a sua utilidade.

Conclusão: Elas podem pode ajudar a aliviar a dor causada pelo refluxo ácido e também promovem a perda de peso, quando combinadas com outras estratégias, dentro de um estilo de vida saudável.

Efeitos Adversos e Preocupações

Como a maioria dos alimentos, a pimenta pode ter efeitos adversos em alguns indivíduos e muitas pessoas não gostam da sensação de queimadura característico do tradicional sabor quente.

Sensação de Queimadura

As pimentas são conhecidas pelo sabor quente que queima os lábios. A substância responsável é a capsaicina, que se liga com aos receptores da dor e provoca uma sensação de queimação intensa. Por esta razão, um extrato de pimenta chamado “capsicum oleorresina” é o principal ingrediente de spray de pimenta. Em grandes quantidades, causa grave dor, inflamação, inchaço e vermelhidão. Ao longo do tempo, a exposição à capsaicina pode causar certos insensibilidade e dor nos neurônios.

Dor de estômago e diarreia

Comer a pimenta pode causar desconforto intestinal em algumas pessoas. Os sintomas podem incluir dor abdominal, sensação de queimação no estômago, cólicas e diarreia dolorosa. Isso é mais comum em pessoas com síndrome do intestino irritável. A pimenta pode piorar temporariamente os sintomas em pessoas que não estão acostumadas a comer regularmente. Por esta razão, as pessoas com síndrome do intestino irritável devem limitar o consumo de pimenta e outros alimentos picantes.

Risco de Câncer

O câncer é uma doença grave caracterizada por crescimento anormal de células. Há evidências sobre o efeito da pimenta sobre o câncer. Experimentos em tubos de ensaio e estudos em animais indicam que a capsaicina, um composto vegetal em pimentas, pode aumentar ou diminuir o risco de câncer. Estudos observacionais em humanos têm ligado o consumo das pimentas ao aumento do risco de câncer, especialmente na vesícula biliar e estômago. Além disso, comer pimenta em pó vermelho foi encontrado pode ser um fator de risco para o câncer de boca e garganta na Índia. Tenha em mente que os estudos observacionais não podem provar que a pimenta causou câncer, mas que as pessoas que comiam pimentas eram mais vulneráveis. Outros estudos são necessários para determinar se o consumo pesado da pimenta, ou a suplementação à base de capsaicina é seguro em longo prazo.

Conclusão: Pimentas não são boas para todos. Elas causam uma sensação de queimação, há possibilidade de dor no estômago e diarréia em alguns indivíduos. Alguns estudos têm relacionado o consumo da pimenta ao câncer.

Mensagem pra Casa

As pimentas são uma especiaria popular em muitas partes do mundo, bem conhecidas por seu sabor quente e pungente. Elas são ricas em vitaminas, minerais e compostos vegetais únicos. Isso inclui a capsaicina , a substância que provoca a sensação de queimação na boca. A capsaicina está ligada a vários benefícios saudáveis, assim como efeitos adversos. Por um lado, a pimenta pode ajudar a promover a perda de peso e aliviar a dor, se consumida regularmente. Por outro lado, provoca uma sensação de queimação, que é desagradável para muitas pessoas, especialmente àqueles que não estão acostumados a comer pimenta. Ao consumir a pimenta corre-se o risco do desconforto digestivo e alguns estudos têm associado a pimenta ao câncer, embora as evidências sejam muito limitadas. No final do dia, usar pimenta como tempero pode ser saudável para muitas pessoas, porém para aqueles que possuem a sensibilidade digestiva, é bom se afastar.

Os Benefícios do Abacaxi Para Saúde

O abacaxi (Ananas comosus) é uma das frutas tropicais mais populares do mundo e é uma boa fonte de nutrientes, tais como a vitamina C, manganês, cobre e ácido fólico. Os abacaxis também são a única fonte do composto vegetal da bromelina. A bromelina está ligada à muitos benefícios da saúde.  Algumas delas são as funções imunológicas, prevenção do câncer, melhor cicatrização das feridas e saúde intestinal. Os abacaxis são deliciosos quando são consumidos fresquinhos, mas também podem ser apreciados na forma de suco, secos, enlatados, ou como ingrediente de várias receitas. Abacaxis têm uma pele áspera e escamosa, desenvolvida a partir de um conjunto de bagas que se fundem em torno de um núcleo fibroso central. A carne dos abacaxis maduros varia do branco ao amarelo, tem um aroma característico e um sabor doce, suculento e picante. Abacaxis frescos contêm 50 calorias por 100 gramas da fruta, o que equivale a 83 calorias por copo (165 g). Eles são constituídos de água (86 %) e carboidratos (13%), com quase nenhuma proteína ou gordura.

beneficios-do-abacaxi

Carboidratos

Os carboidratos dos “ananás” são principalmente os açúcares simples, tais como sacarose, frutose e glicose. Os abacaxis (ananás) também contêm fibra. Numa xícara (165g) de abacaxi contém 21,7 g de carboidratos e 2,3 g de fibra, por isso há 19,4 g de carboidratos digestíveis (líquidos) em cada copo. O valor do índice glicêmico dos abacaxis pode variar 45-66 %, o que está na média. Isto significa que os abacaxis pouco interferem nos níveis de açúcar no sangue, pelo menos em pessoas saudáveis.

Fibra

Uma xícara de abacaxi contém 2g de fibra, quase tudo é insolúvel (99%). Estão essencialmente na forma de celulose, hemicelulose e pectina. As fibras insolúveis têm sido associadas à digestão saudável e a redução do risco da diabetes tipo 2 [Se você tem Diabetes Tipo 1 ou Tipo 2 Clique Aqui].

Conclusão: Abacaxis consistem principalmente de água e carboidrato. Eles são pobres em calorias, contêm fibras insolúveis e principalmente não têm grandes efeitos sobre os níveis de açúcar no sangue.

Vitaminas e Minerais

Os abacaxis são uma grande fonte de várias vitaminas e minerais. Um copo fornece 132 % da ingestão recomendada de vitamina C e de 76% de manganês. Estas são as vitaminas e os minerais mais abundantes dos abacaxis.

Vitamina C: Uma vitamina antioxidante que é necessária para uma pele saudável e a função imunológica.

Manganês: Um mineral essencial que é normalmente encontrado em grandes quantidades em frutas, legumes, cereais integrais e leguminosas.

Cobre: Um mineral com muitas funções importantes no corpo, tais como ser um co-fator na fabricação de células vermelhas do sangue.

Folato (B9): Um membro da família da vitamina B, importante para o crescimento do tecido celular e função normal e é especialmente importante às mulheres grávidas.

Conclusão: Os abacaxis são uma boa fonte de vitamina C, manganês e contêm uma quantidade considerável de cobre e ácido fólico.

Outros Compostos Vegetais

A bromelina é o composto mais pesquisado do abacaxi, mas também possuem antioxidantes como as antocianinas.

Bromelina: Uma enzima que digere proteína única, só encontrada no abacaxi. Ela pode ter muitos benefícios à saúde, tais como a redução do risco de câncer, melhora da saúde intestinal e facilita a cicatrização de feridas.

Antocianinas: Os abacaxis contêm pequenas quantidades de antocianinas, antioxidantes poderosos, ligados à redução do risco de doenças, incluindo doenças cardíacas. Devido ao seu teor bromelina, o sumo dos abacaxis pode ser usado para amaciar carne, pois a bromelina quebra as proteínas da carne.

Conclusão: Os abacaxis são a única fonte alimentar de um composto vegetal único chamado bromelina, que é associado a muitos benefícios saudáveis.

Benefícios Saudáveis dos Abacaxis

A maioria dos benefícios saudáveis dos abacaxis está atribuída ao teor do composto vegetal bromelina. No entanto, deve-se notar que algumas pesquisas baseiam seu estudo, considerando a bromelina obtida a partir do caule do abacaxi, onde está o nível mais elevado da bromelina. Pois, por suposto, os caules geralmente não são consumidos e, se necessário a ingestão de suplementos de bromelina (chamados de “extrato de abacaxi”), esses serão recomendados.

Função imunológica melhorada e Inflamação Reduzida

O sistema imunológico protege nosso organismo contra doenças, combate os microorganismos nocivos e repara os danos. O estudo com tubo de ensaio mostra que a bromelina fortalece o sistema imunológico e reduz a inflamação. O estudo em animais mostra que a bromelina pode reduzir a gravidade da inflamação, estimular respostas imunes e tem efeitos benéficos contra as doenças das vias respiratórias e a asma alérgica. Estudos em humanos mostram que o consumo de abacaxi, ou suplemento de bromelina, pode encurtar a duração da sinusite, estimular respostas imunes, evitar a formação de coágulos no sangue e reduzir a inflamação.

Conclusão: Abacaxis e a bromelina são bons contra a inflamação e estimula as respostas imunes do organismo. Eles podem reduzir a duração de infecções e ajudam contra as doenças das vias respiratórias, tais como asma.

Risco reduzido de Câncer

O câncer é caracterizado pelo crescimento celular incontrolado, que pode invadir e destruir os tecidos circundantes. É uma das principais causas de morte e de incapacidade em todo o mundo. A dieta rica em frutas de cor amarela está ligada a redução dos riscos de câncer do cólon. Estudos com tubos de ensaio demonstraram que a bromelina pode inibir o crescimento de células cancerosas, bem como conduzi-las a apoptose (morte celular). Mais estudos são necessários para avaliar esses efeitos em humanos.

Conclusão: Estudos demonstram que os abacaxis e bromelina podem ter propriedades de combate ao câncer, como a inibição e o combate das células cancerosas.

Melhoria da Cicatrização de Feridas

A cicatrização de feridas é a capacidade do organismo de reparar lesões, porém este processo pode ser interrompido por fatores como a diabetes, envelhecimento e doenças do coração. A bromelina pode ser usada ​​para melhorar a cicatrização de feridas em estudos feitos com animais, através da aceleração da recuperação e redução da inflamação. Uma loção à base de bromelina facilita a cicatrização de queimaduras da pele.

Conclusão: a bromelina demonstra propriedades curativas para a pele ferida, acelera a recuperação e reduz a inflamação.

Melhoria da saúde intestinal

As bactérias do nosso corpo superam o número das nossas células (10:1), a maioria delas reside no intestino e fazem a manutenção da flora intestinal e possui inúmeros benefícios. Os abacaxis são geralmente de fácil digestão pelas bactérias intestinais benéficas. Os estudos em animais indicam que os abacaxis e a bromelina podem ajudar no tratamento de doenças do aparelho digestivo, tais como doenças inflamatórias, reduzindo os efeitos da inflamação no intestino. A bromelina ajuda a digerir proteínas, por isso pode ser útil àqueles que têm problemas de indigestão, principalmente quando comem as proteínas das carnes.

Conclusão: Eles podem ter benéficos no tratamento de doenças do aparelho digestivo, reduzem a inflamação intestinal e ajudam na prevenção da diarreia. Os abacaxis são geralmente bem digeridos, mas podem causar inchaço e gases.

Efeitos Adversos e Preocupações Individuais

A maioria das pessoas tolera bem os abacaxis, mas eles podem causar irritação na boca de alguns indivíduos. Abacaxis também podem interferir na função de alguns medicamentos e existem algumas pessoas que são alérgicas a eles.

Irritação na Boca

Algumas pessoas experimentam o desconforto boca depois de consumir abacaxi, uma condição inofensiva que deve se resolver em um poucas horas. Isto é causada pela bromelina, a enzima que digere proteínas encontradas no fruto e no caule da árvore que dá o abacaxi.

Alergia a Abacaxi e Reações Cruzadas

Os abacaxis podem causar reações alérgicas, com sintomas de prurido, erupções cutâneas, coriza, dor abdominal, vômitos, diarreia e até mesmo um choque alérgico grave. Os indivíduos que sofrem de alergias ao látex, pólen de bétula ou pólen de gramíneas, também podem apresentar reações alérgicas a abacaxi, como resultado da reação cruzada. A reação cruzada é uma ação do corpo que confunde as proteínas encontradas nos abacaxis, como sendo proteínas que causam alergias semelhantes, encontradas no pólen ou látex, o que causa a alergia ao abacaxi.

Preocupações com Medicação

Indivíduos que tomam medicamentos tais como diluentes de sangue, devem consultar o seu médico antes de incorporar abacaxis ou suplementos de bromelina em sua rotina diária. Os abacaxis são conhecidos por evitar o acúmulo de plaquetas no sangue e podem ter o efeito de diluição do sangue.

Conclusão: Os abacaxis são geralmente bem tolerados, mas podem causar reações alérgicas em algumas pessoas. Eles também podem afetar alguns medicamentos, devido aos seus efeitos de afinamento do sangue.

Mensagem pra Casa

Para a maioria das pessoas, os abacaxis são um ótimo complemento para a dieta. Eles são uma boa fonte de vitaminas e minerais, com uma abundância de vitamina C e manganês. Eles também são a única fonte de um composto vegetal poderoso chamado bromelina, que é responsável por muitos dos seus benefícios para a saúde. Estes incluem a aceleração de feridas, melhora na digestão, ajuda a prevenir o câncer, reduz a inflamação e melhora a função imunológica. Com seu sabor doce, o abacaxi é um ingrediente perfeito para refrescar a refeição.

Benefícios do Morango a Saúde

O morango, cientificamente conhecido como Fragaria ananassa, teve origem na Europa do século 18. É um híbrido de duas espécies de morango selvagem da América do Norte e do Chile. Os morangos são vermelho brilhante na cor, tem uma textura suculenta, um aroma característico e um sabor doce. Elas são uma excelente fonte de vitamina C e de manganês, também contêm quantidades dignas de folato (B9) e potássio. Os morangos são muito ricos em antioxidantes, fitonutrientes e oferece benefícios para a saúde cardíaca e ao controle do açúcar no sangue. São consumidos cru e fresco, mas também podem ser usados em uma variedade de conservas de frutas, geléia, sobremesas e aromatizante de alimentos.  Os morangos consistem principalmente de água (91%) e hidratos de carbono (7,7%). Eles contêm apenas pequenas quantidades de gordura (0,3%) e proteína (0,7%). Uma xícara de morangos inteiros (150g) contem menos de 50 calorias.

beneficios-do-morango

Carboidratos

Por peso seco, o morango é cerca de 66 % de carboidratos. No entanto, morangos frescos são muito ricos em água, de modo que o conteúdo total de carboidratos é muito baixo, inferior a 12g de carboidratos por xícara. A maioria dos carboidratos dos morangos vem a partir dos açúcares simples, tais como glucose, frutose e sacarose. O morango tem uma pontuação de índice glicêmico de 40%, que é relativamente baixo. Por esta razão, o morango não deve conduzir a grandes picos do nível de açúcar no sangue e são considerados seguros para diabéticos [Se você tem Diabetes Tipo 1 ou Tipo 2 Clique Aqui].

Fibras

Fibras constituem 23 % do peso seco do morango. 1 xícara de morangos fornece 3g de fibras, tanto solúveis como insolúveis. As fibras alimentares são importantes para nutrir as bactérias amigas ​​no intestino e melhorar a saúde digestiva. Elas também são úteis para a perda de peso e podem ajudar a prevenir muitas doenças.

Vitaminas e Minerais

As vitaminas e minerais mais abundantes no morango seguem listadas abaixo:

Vitamina C:  O morango são uma excelente fonte de vitamina C, um antioxidante que é importante para o sistema imunológico e a saúde da pele.

Manganês: Freqüentemente encontrado nos grãos integrais, legumes frutas e verduras, este oligo-elemento é importante para muitos processos no corpo.

Folato (B9):  Uma das vitaminas do complexo B, importante para o crescimento do tecido normal e função das células. O folato é particularmente importante para as mulheres grávidas e idosos.

Potássio:  Um mineral que está envolvido em muitas funções essenciais do corpo, tais como a regulação da pressão arterial.

Em menor grau, o morango também contêm ferro, cobre, magnésio, fósforo, vitamina B6, vitamina K e vitamina E.

Fitonutrientes

Morango é carregado com antioxidantes e fitonutrientes benéficos:

Pelargonidina: A principal antocianina no morango, responsável por sua cor.

Ácido Elágico: Encontrado em abundância no morango, o ácido elágico é um polifenol antioxidante com  muitos benefícios à saúde.

Elagitaninos:, Os elagitaninos são convertidos em ácido elágico no intestino.

Procidianina: Os antioxidantes, comumente encontrados no fruto do morango e sementes, podem ter efeitos benéficos à saúde.

Antocianinas

Mais de 25 diferentes antocianinas foram encontradas no morango. Pelargonidina é a mais abundante. As antocianinas são responsáveis ​​pelas cores brilhantes das flores e da fruta. Elas são geralmente concentradas na pele das frutas, nas bagas (como morango) também tendem a ter antocianinas em seu fruto. Antocianinas é geralmente proporcional à intensidade da cor, aumentando o amadurecimento da fruta. Comer alimentos ricos em antocianinas tem sido associado a inúmeros benefícios à saúde, especialmente, em relação a saúde cardíaca.

Os elagitaninos e o Ácido elágico

morango são consistentemente classificados entre as melhores fontes de antioxidantes fenólicos, com níveis de duas até 11 vezes maiores do que outras frutas. Elagitaninos e ácido elágico compreendem uma grande parte dos antioxidantes fenólicos no morango. Eles têm recebido uma atenção considerável e têm sido associados a numerosos benefícios à saúde. Isso inclui combate a bactérias e prevenção o câncer. O principal elagitanino no morango é o sanguiin H-6.

Benefícios Saudáveis dos Morangos

O consumo do morango pode melhorar a saúde do coração, reduzir os níveis de açúcar no sangue e ainda ajuda na prevenção do câncer. O consumo do morango oferece um pequeno risco de algumas doenças crônicas.

Saúde Cardíaca

A doença cardiovascular (doença cardíaca) é a causa mais comum de morte no mundo. Estudos descobriram uma relação entre bagas, ou baga antocianinas e a melhoria da saúde cardiovascular. De acordo com um estudo realizado em pessoas de meia-idade com fatores propensos a doença cardiovascular, as bagas aumentaram o HDL-colesterol e a pressão arterial modificou a função das plaquetas no sangue. O morango também auxiliam na capacidade antioxidante do sangue, diminuindo o estresse oxidativo, inibe a inflamação, melhora a função vascular, o perfil lipídico no sangue e reduzi a oxidação prejudicial do LDL-colesterol. Ultimamente, os efeitos dos suplementos de morangos liofilizados sobre diabetes tipo 2 [tem Diabetes? Clique Aqui] ou síndrome metabólica, têm sido estudadas intensamente, principalmente em indivíduos com sobrepeso ou obesos. Um decréscimo significativo em importantes fatores de risco foi observado após 4-12 semanas de suplementação. Isto inclui o LDL-colesterol, marcadores inflamatórios (proteína C-reativa) e LDL com partículas oxidadas.

Regulação da Corrente Sanguínea

Quando os carboidratos são digeridos, eles são divididos em açúcares simples, que são liberados na corrente sangüínea. Com o aumento dos níveis de açúcar no sangue, o corpo começa a secretar  insulina, como as células fazem com o açúcar do sangue, usam como combustível ou armazenamento. O desequilíbrio na regulação do açúcar no sangue, ou nas dietas ricas em alimentos que levam a grandes picos de açúcar no sangue, está associado a um maior risco de obesidade, diabetes do tipo 2 e a doenças cardiovasculares. O morango parece retardar a digestão da glicose e reduzem a picos de glicose e de insulina. Isto implica que o morango pode ser particularmente útil na prevenção da síndrome metabólica e diabetes do tipo 2.

Prevenção do Câncer

O câncer é uma doença grave, caracterizada por um crescimento descontrolado de células anormais, além dos seus limites normais. A formação e a progressão do câncer estão associados ao estresse oxidativo e a inflamação crônica. Um número de estudos sugere que as bagas podem ajudar a prevenir vários tipos de câncer, através da sua capacidade para combater o stress oxidativo e processos inflamatórios. O morango ajuda a inibir a formação de tumores no câncer oral (em animais) e em células de câncer do fígado humano. Os efeitos protetores do morango associam-se ao ácido elágico e elagitaninos, que aparecem como inibidores  do crescimento das células de câncer. Isto significa que os morangos podem ser particularmente úteis na prevenção da síndrome metabólica e da diabetes do tipo 2 [Controle Sua Diabetes >>> Vídeo Gratuito]. A investigação é necessária para melhorar a compreensão dos efeitos do morango sobre o câncer.

Efeitos Adversos

morango são geralmente bem tolerados, mas a alergia ao morango é bastante comum, especialmente em crianças pequenas. O morango contêm uma proteína que pode reagir de forma cruzada e causar sintomas em pessoas que são sensíveis ao pólen de bétula ou maçãs, conhecido como alergia ao pólen. Os sintomas mais comuns incluem comichão ou formigamento na boca, urticária, dores de cabeça, inchaço dos lábios, face, língua e garganta, ou até problemas respiratórios em casos graves. A proteína que causa a alergia se liga às antocianinas vermelhas. Incolores, os morangos brancos são geralmente bem tolerados por indivíduos alérgicos. O morango cultivados em ambientes protegidos (tais como estufas), podem conter resíduos de pesticidas, mais do que em morango cultivados ao ar livre.

Benefícios da Laranja para Saúde

laranja estão entre as frutas mais populares do mundo e pertencem a um grande grupo de frutas conhecidas como frutas cítricas. Sua verdadeira origem é um mistério, mas o cultivo de laranja parece ter começado na Ásia Oriental, há milhares de anos atrás. Hoje em dia, são cultivadas na maior parte das regiões quentes do mundo e são consumidas como frutas frescas ou suco. A laranja é uma fonte de fibra saudável, vitamina C, tiamina, ácido fólico e antioxidante. Além de ser muito saborosa, a laranja tem várias propriedades saudáveis e apresentam-se em diferentes tipos, tamanho, cor e sabor.

beneficios-da-laranja

Carboidratos na Laranja

A laranja são compostas principalmente de carboidratos, água e contêm quantidades muito baixas de proteína e gordura. Elas também são pobres em calorias. Os açúcares simples, tais como glucose, frutose e sacarose, são a forma dominante dos carboidratos da laranja, que são responsáveis ​​pelo sabor doce. Apesar do seu teor de açúcar, a laranja têm um índice glicêmico baixo, variando de 31 a 51%. Esta é prova como o açúcar rapidamente, entra na corrente sanguínea após uma refeição. Os valores baixos do índice glicêmico estão associados a inúmeros benefícios à saúde. Este índice glicêmico baixo é explicado pelo fato da laranja ser ricas em polifenóis e fibras, que moderam o aumento do açúcar no sangue.

Fibra na Laranja

laranja é uma boa fonte de fibra. Uma laranja grande (184 g) contém cerca de 18% da ingestão diária recomendada. As principais fibras encontrada na laranja é a pectina, celulose, emicelulose e lignina. A fibra dietética tem sido associada a efeitos benéficos para a saúde. Em geral, as fibras são conhecidas por melhorar a função do sistema digestivo e alimentar as bactérias amigas. A fibra também promove a perda de peso e a bons níveis de colesterol.

Vitaminas e Minerais na Laranja

laranja é uma boa fonte de várias vitaminas e minerais, especialmente vitamina C, tiamina, folato e potássio.

Vitamina C: A laranja é uma excelente fonte de vitamina C. Uma grande laranja pode fornecer mais de 100% da ingestão diária recomendada.

Tiamina: Uma das vitaminas do complexo B, também chamado de vitamina B1. Encontrada numa ampla variedade de alimentos.

Folato: Também conhecido como vitamina B9 ou ácido fólico, que tem muitas funções essenciais e é encontrado em muitos alimentos vegetais.

Potássio: A laranja é uma boa fonte de potássio. A alta ingestão de potássio pode reduzir a pressão arterial nas pessoas com hipertensão e tem efeitos benéficos na saúde cardiovascular.

Fito nutrientes

laranja é ricas em vários fito nutrientes, que são responsáveis por muitos efeitos benéficos à saúde. As duas principais classes de fito nutrientes encontrados na laranja é o carotenoide e compostos fenólicos (compostos fenólicos).

Fenólicos

laranja é uma excelente fonte de compostos fenólicos, especialmente flavonoides, que contribuem para a suas propriedades antioxidantes.

Hesperidina: Um flavonoide cítrico, um dos principais antioxidantes encontrados na laranja. Ela está associada a vários benefícios à saúde.

Antocianinas: Uma classe de flavonoides antioxidantes encontrados nas ‘laranjas de sangue’ (tipo), o que torna sua carne vermelha.

Carotenoides

Todas as frutas cítricas são ricas em carotenóides, uma classe de antioxidantes responsável pela cor da laranja.

Beta-criptoxantina: Um dos mais abundantes carotenóides antioxidantes encontrados nas laranjas. O corpo é capaz de convertê-lo em vitamina A.

Licopeno: Um antioxidante encontrado em quantidades elevadas nas laranjas com polpa vermelha (laranjas Cara Cara). Também é encontrada no tomate e toranja, com uma variedade de benefícios a saúde.

Ácido Cítrico

As laranjas e outros frutos da família cítrica, são ricas em ácido cítrico e citratos, que contribuem para o sabor amargo. Uma pesquisa indica que o ácido cítrico e citratos das laranjas podem ajudar da prevenção da formação de cálculos renais.

Benefícios saudáveis da Laranja

Saúde Cardiovascular

A doença cardiovascular é atualmente a causa mais comum no mundo de morte prematura. Os flavonóides das laranjas, especialmente hesperidina, podem ter efeitos protetores contra as doenças cardiovasculares. Os estudos clínicos nos seres humanos mostraram que a ingestão diária do suco de laranja, durante 4 semanas, surte um efeito de afinação do sangue e pode reduzir a pressão arterial de forma significativa. As fibras também parecem desempenhar um papel, quando consumidas isoladas a partir do alimento cítrico, apresenta a diminuição dos níveis de colesterol no sangue. Em conjunto, provável, que o consumo regular das laranjas, ajude a reduzir o risco de doença cardiovascular.

Prevenção de Pedras nos Rins

As laranjas são uma boa fonte de ácido cítrico e citratos, que são ajudam a prevenir a formação de cálculos renais. Citrato de potássio é prescrito aos doentes com pedras nos rins. O citrato das laranjas parece ter efeitos semelhantes.

Prevenção da Anemia

A anemia, a diminuição na quantidade de glóbulos vermelhos ou de hemoglobina no sangue, e muito das vezes causada por deficiência de ferro. Embora as laranjas não sejam uma boa fonte de ferro, elas são uma excelente fonte de ácidos orgânicos, tais como a vitamina C (ácido ascórbico) e ácido cítrico. Tanto a vitamina C e o ácido cítrico podem aumentar a absorção do ferro a partir do trato digestivo. Portanto, quando ingeridos com alimentos ricos em ferro, as laranjas podem ajudar a prevenir a anemia.

Laranjas Integrais vs. Suco de Laranja

O suco de laranja é uma bebida muito popular em todo o mundo. Uma das principais diferenças entre os sucos de laranja e laranja integral, é que o suco é muito inferior em fibras. Esta diminuição da fibra parece aumentar ligeiramente o índice glicêmico. Um copo de suco de laranja tem uma quantidade similar de açúcar natural equivalente a duas laranjas integrais que é muito menos satisfatório e o resultado, o que pode levar ao aumento do peso e efeitos nocivos à saúde metabólica. O suco de laranja pode ser saudável, nas com moderação e as laranjas integrais são geralmente uma escolha muito melhor.

Efeitos Adversos

Em suma, as laranjas não têm muitos efeitos adversos conhecidos em pessoas saudáveis. Algumas pessoas têm alergia a laranjas, mas isso é raro. Em pessoas que sofrem de azia, o consumo de laranjas pode piorar os sintomas. Porque as laranjas contêm ácidos orgânicos, principalmente o ácido cítrico e ácido ascórbico (vitamina C).

 

Os Benefícios da Manteiga Para Saúde

Nesse texto vamos falar sobre os melhores benefícios da Manteiga, a manteiga é um produto lácteo popular feito a partir de leite de vaca. É composto de gordura do leite que foi separado de outros componentes do leite. Tem um sabor rico e é amplamente utilizado para cozinhar, assar ou passar no pão. Nas últimas décadas, a manteiga tem sido injustamente responsabilizada por doenças cardiovasculares, devido ao seu teor de gordura saturada alta. No entanto, a opinião pública e científica foi lentamente mudando esse preceito e muitas pessoas agora consideram a manteiga um alimento saudável.

beneficios-da-manteiga

Gordura da Manteiga:

A manteiga é cerca de 80% de gordura, eo resto é principalmente água. Basicamente, é a porção gorda do leite, que tenha sido isolada a partir da proteína edos  hidratos de carbono. A manteiga é uma das mais complexas gorduras alimentares, contendo mais de 400 diferentes ácidos gordos. É muito alta em ácidos graxos saturados ( +-70%) e contém uma boa quantidade de ácidos graxos monoinsaturados (+-25%). As gorduras poli-insaturadas estão presentes apenas em quantidades mínimas, que constituem cerca de 2,3% do teor total de gordura. Outros tipos de substâncias encontrados na manteiga incluem colesterol e fosfolipídios.

As gorduras de cadeia curta: Cerca de 11% dos ácidos gordos saturados em manteiga são de cadeia curta, a mais comum das quais é o ácido butírico. Ácido butírico é um componente único da gordura do leite de animais ruminantes, como bovinos, ovinos e caprinos. Butirato, que é uma forma de ácido butírico, foi mostrado para reduzir a inflamação no sistema digestivo e tem sido utilizada como um tratamento para a doença de Crohn.

As gorduras trans: Ao contrário de gorduras trans em alimentos processados, gorduras trans lácteos são considerados por ser saudável. A manteiga é a mais rica fonte alimentar de gorduras trans lácteos, também chamados de gorduras trans ruminantes, o mais comum dos quais são ácido vacênico e ácido linoléico conjugado – CLA – uma família de gorduras trans que tem sido associada a vários benefícios à saúde. Estudos em animais e células humanas sob cultura de laboratório indicaram que o CLA pode proteger contra alguns tipos de câncer e ainda promover a perda de peso em nós humanos. Realmente vendido como um suplemento à perda de peso. No entanto, nem todos os estudos concordam. Mas, existem algumas preocupações com grandes doses de suplementos de CLA, pois podem ter efeitos nocivos a saúde metabólica.

Valor Nutricional da Manteiga: A manteiga contém uma variedade de micronutrientes. As seguintes vitaminas são encontradas na manteiga:

  • Vitamina A: A vitamina mais abundante na manteiga. Uma colher de sopa (14 g) pode fornecer cerca de 11 % da dose diária recomendada.
  • Vitamina D: A manteiga é uma boa fonte de vitamina D.
  • Vitamina E: Um antioxidante poderoso, muitas vezes encontrada em alimentos gordos.
  • Vitamina B12: Também chamado de cobalamina, a vitamina B12 só é encontrada em alimentos de origem animal, como ovos, carne e produtos lácteos.
  • Vitamina K2: Uma forma de vitamina K, também chamado de menaquinona. Pode proteger contra doenças cardiovasculares e osteoporose.

No entanto, a manteiga não contribuem muito para a ingestão diária total destas vitaminas porque geralmente é consumido em pequenas quantidades.

Saudáveis Benefícios da Manteiga

Há alguns anos atrás, a manteiga foi considerada insalubre, principalmente devido ao teor elevado de gordura saturada. No entanto, a opinião pública e científica está lentamente mudando o consumo da manteiga.

Benefícios da Manteiga Para Coração: A doença cardiovascular é uma das principais causas de morte na sociedade moderna. A relação entre gorduras saturadas e doenças cardiovasculares tem sido um tema controverso por várias décadas. É bem conhecido que uma elevada ingestão de gordura saturada pode aumentar os níveis de colesterol no sangue, que é um fator de risco à doenças cardiovasculares. No entanto, não é necessariamente a quantidade de colesterol que é um motivo de preocupação. O perfil lipídico no sangue, ou o tipo de colesterol de lipoproteína é muito mais importante. A ingestão de gorduras saturadas pode realmente melhorar o perfil lipídico no sangue de muitas maneiras:

– Elas elevam os níveis de lipoproteína de alta densidade (HDL), o colesterol “bom”, que está associada com um risco reduzido da doença cardiovascular.

– Elas podem aumentar os níveis de lipoproteínas de baixa densidade (LDL), mas são convertidas em grandes partículas de LDL, que não estão associados a doença cardiovascular.

Muitos estudos não conseguiram encontrar uma ligação entre a ingestão de gordura saturada e doenças cardiovasculares. O mesmo aplica-se aos produtos de elevado teor de gordura do leite, tais como manteiga. Os estudos mostraram que os produtos lácteos, ricos em gordura, não aumentam o risco de doença cardiovascular. De fato, muitos estudos têm, na verdade, entendido que a ingestão de produtos lácteos, ricos em gordura, pode ser benéfica à saúde cardiovascular. No entanto, a maioria dos estudos consideraram o consumo “normal”. Mas, é possível que o consumo de grandes quantidades (por exemplo, adicionar manteiga para seu café ) pode ser problemático.

Benefícios da Manteiga Na Prevenção da Obesidade: Muitas pessoas acreditam que a manteiga engorda porque ela é rica em gordura e calorias. Isto não parece ser verdade, porque uma revisão de evidências constataram que o alto teor de gordura nos produtos lácteos, como a manteiga, estava ligada à uma redução do risco de obesidade. Dito isto, a manteiga não é um alimento que deve ser consumido em grandes quantidades. É quase gordura pura e só deve ser utilizado para complementar as refeições, como um fator da propagação de cozinhar, ou como parte de receitas. Em outras palavras, manteiga deve ser consumida com uma refeição e não como refeição.

Efeitos Adversos:

Em quantidades convencionais, a manteiga não tem muitos efeitos adversos à saúde.  No entanto, comendo manteiga em grandes quantidades, pode levar ao ganho de peso e problemas de saúde associados, especialmente no contexto de uma dieta de alto teor calórico.

Alergia do leite: Embora manteiga é muito pobre em proteínas , ainda contém um número suficiente de proteínas de soro de causar reações alérgicas. Portanto, as pessoas com alergia ao leite deve ter cuidado com a manteiga, ou evitá-la por completo.

Intolerância A Lactose: A manteiga contém apenas vestígios de lactose, o consumo moderado deve controlado pelas pessoas mais intolerantes à lactose. Manteiga cultivada (feito a partir de leite fermentado) e manteiga clarificada contêm ainda menos lactose e pode ser mais adequado.

Vacas Leiteiras Alimentadas – Grama vs. Grãos

A alimentação das vacas leiteiras pode ter um efeito considerável sobre a qualidade nutricional da manteiga, que tem base de leite. A manteiga, considerando as vacas alimentadas com capim, é feito a partir do leite de vacas que pastam ou são alimentados com erva fresca. Nos EUA, os produtos lácteos provindos de vacas leiteiras alimentadas com capim, são apenas uma pequena parte do setor leiteiro. A maioria das vacas leiteiras são alimentadas principalmente com alimentos à base de grãos comerciais. Em muitos países, como a Irlanda e a Nova Zelândia, produtos lácteos (capim)são muito mais comuns, pelo menos durante os meses de verão.

A manteiga advinda das vacas alimentadas com ervam possui mais nutrientes do que manteiga de vacas que são alimentados com processados, alimentos à base de grãos ou grama conservada. A proporção de erva fresca na dieta de uma vaca, aumenta a quantidade de gorduras saudáveis​​, como os ácidos graxos ômega-3 e ácido linoléico conjugado. Além disso, o teor de vitaminas, antioxidantes solúveis em gordura, tais como os carotenóides e tocoferóis , é significativamente mais elevada em alimentadas com grama. Simplificando, a manteiga das vacas alimentadas com capim é uma escolha muito mais saudável.

Produção da Manteiga

O primeiro passo para a produção de manteiga envolve a separação da nata do leite. No passado, o leite foi simplesmente deixado em repouso até o creme subiu para a superfície, de onde foi desnatado. Isto acontece porque a gordura é mais leve do que os outros componentes do leite. A produção moderna de creme envolve um método mais eficiente chamada centrifugação. No passo seguinte, a manteiga é produzida a partir de nata em um processo chamado de agitação. Produzindo envolve agitando o creme até que a gordura do leite ( manteiga) aglomerados juntos e se separa a parte líquida -leitelho. Quando o leitelho é drenado, a manteiga se agita, até que se torna ainda mais pronta para embalar.

As 8 Razões para Aumentar os Níveis de Vitamina D

A vitamina D é mais do que apenas uma vitamina. Ela literalmente funciona como um hormônio esteróide no corpo.Se você pega um pouco de sol durante todo o ano e faz uso de protetor solar, então a suplementação com vitamina D é algo a se considerar.A deficiência da vitamina é extremamente comum nos países ocidentais e pode ter consequências desastrosas a longo prazo.Aqui estão 8 razões para obter seus níveis de vitamina D verificados e começar com suplementação, se necessário.

vitamina-d

1. É Difícil Conseguir o  Suficiente com Dieta

Quando os raios de sol tocam a pele, a vitamina D3 é produzido a partir do colesterol.Historicamente, esta é a principal fonte de vitamina D para os seres humanos.Hoje, no entanto… como as pessoas usam mais e mais protetor solar e evitam o sol, ou vivem onde não há sol, a deficiência é extremamente comum.Há duas formas principais de conseguir a vitamina D na dieta:

Vitamina D3 – Colecalciferol – a forma animal.
A vitamina D2 – Ergocalciferol – a forma da planta.

A forma animal (D3) aumenta os níveis no sangue, muito mais eficaz do que a D2.Infelizmente, há apenas uma fonte satisfatória de D3 na dieta. Uma colher de sopa de óleo de fígado de bacalhau, suprimentos de peixes 1350 UI, cerca do dobro da posologia.Outras fontes que podem ser satisfatórias incluem os peixes gordos e alimentos que têm vitamina D acrescentado (tais como leite fortificado), mas você teria que comer uma grande quantidade destes alimentos para cobrir suas necessidades.Claro, se você tem a opção (eu não… vivo na Islândia), de ficar um pouco mais no sol,  tomando o cuidado de não queimar a pele, é provavelmente a escolha mais saudável e natural.

2. Pode Reduzir o Risco de Morte

Duas meta-análises separadas dos estudos randomizados controlados revelam, que a suplementação com vitamina D pode reduzir a mortalidade total em cerca de 6-7%.Isto significa basicamente que se você está consumindo o suficiente de vitamina D a partir de sol ou dieta, então provavelmente você não vai morrer durante um certo período de tempo.

3. Pode Reduzir as Causas de Todo Tipo de Câncer

Existem muitos tipos diferentes de câncer, que se caracteriza pelo crescimento descontrolado de células no corpo.A vitamina D é um hormônio esteróide que pode atuar como um fator de transcrição, que viaja para os núcleos das células e transformam os genes ligado ou desligado. Há uma boa quantidade de evidências que sugerem que a deficiência da vitamina D está associada ao aumento do risco de diversos tipos de câncer.Em 4 anos de estudo controlado e randomizado, em 1179 mulheres pós-menopáusicas saudáveis, com 1100 IU de vitamina D3 (juntamente com o cálcio), reduziu o risco de desenvolver câncer de todas as causas em 60%.Um achado bastante significativo, dado que o câncer é uma das causas mais desagradáveis e comuns de morte. Vamos precisar de alguns ensaios clínicos a mais para confirmar isso.No entanto, há também vários estudos epidemiológicos (observacionais … não provam nada) que mostram uma relação inversa para os níveis de vitamina D e câncer.

4. Doenças Cardiovasculares

A doença cardiovascular é o assassino # 1 em todo o mundo … a causa mais comum de morte prematura.Vários estudos epidemiológicos (de novo, não provam nada) sugerem que baixos níveis de vitamina D podem levar a fatores de risco elevados e aumento do risco de ataques cardíacos, mas até agora, estudos controlados não são conclusivos.

5. Reduz a Incidência da Diabetes Tipo I em Crianças

Diabetes do tipo I é uma doença auto-imune causada pelo sistema imunológico, que ataca as células produtoras de beta insulina do pâncreas.Esta doença é geralmente diagnosticada em uma idade jovem e costuma ser fatal antes da descoberta da insulina.Um cortejo de 10.921 latentes, seguidos desde o dia do nascimento, revelou que aqueles que foram suplementados com 2.000 UI por dia de vitamina D tiveram um risco 78% inferior de desenvolvimento de Diabetes Tipo I.Uma meta-análise de estudos epidemiológicos confirmou este achado, mostrando uma redução no risco de 39% e o potencial para uma relação de dose-resposta.Além disso, há uma grande quantidade de dados que ligam a suplementação de vitamina D a um risco reduzido de diabetes tipo II em adultos.

6. Reduz Quedas e Fraturas nos Idosos

Os idosos correm particularmente, alto risco de deficiência, em parte porque eles não recebem tanto sol.Em ensaios clínicos randomizados de idosos, que complementam com a vitamina D, diminuem risco de ambos, as quedas e fraturas. A dose necessária é 800 IU (pelo menos) – 400IU não teve nenhum efeito.

7. Pode Proteger Contra a Gripe e Ataques de Asma

Em crianças em idade escolar, um estudo randomizado controlado revelou que a suplementação com vitamina D reduziu o risco de infecção por influenza A em 42% e também reduziu significativamente a ocorrência de ataques de asma.Baixos níveis sanguíneos de vitamina D não parecem estar associados com o aumento de infecções respiratórias, sugerindo que ele tem um papel importante na defesa imunológica.

8. A Dose Diária Recomendada Pode Ser Muito Baixa

Muitos especialistas acreditam que a dose diária recomendada é muito baixa, especialmente para pessoas que não estão muito expostas ao sol.Anteriormente, foi acreditado principalmente, que a vitamina D pode causar raquitismo nas crianças. Hoje, o status da vitamina D já foi implicada em uma série de outras doenças, algumas das quais matam milhões de pessoas todos os anos.Está além do escopo deste artigo para explorar todos eles, mas parece bastante simples que otimizar seus níveis de vitamina D pode ajudá-lo a viver uma vida mais longa e saudável.Esteja ciente de que, na maioria dos estudos acima, as doses utilizadas foram bastante pequena. É uma possibilidade concreta de que o resultado seria muito mais forte, se utilizado doses mais elevadas.

Verifique o Seu Nível de Vitamina D!

Se você não pega sol, acho que você pode ser deficiente. Então você precisa visitar um médico e ter seus níveis de 25-hidroxi-vitamina D medido (a forma de armazenamento da vitamina).De acordo com o Conselho de vitamina D, um nível de sangue de 50-80 ng / ml (125-200 nmol / L) é a melhor aposta para uma boa saúde e prevenção de doenças.Se você é deficiente, aumentar a exposição ao sol não é uma opção. No caso, você deve começar a suplementação com vitamina D3. Escolha uma marca que possa encher uma tampa cheia de óleo, porque é uma vitamina solúvel em gordura.A dose necessária depende do indivíduo e precisa ser otimizado ao longo do tempo. Existe o risco de toxicidade, mas é extremamente baixa. Você precisa tomar uma quantidade ridícula de vitamina por longos períodos de tempo para que isso aconteça.Se você decidir obter a vitamina D do sol, cuidado para não se queimar.Eu tomo uma colher de sopa de óleo de fígado de bacalhau todos os dias, e assim completo os 6.000IU de vitamina D3 durante todo o inverno. Isso traz a minha total diária de cerca de 7.000 UI por dia.Você pode precisar de mais, ou menos, ou você pode não precisar. Apenas o seu médico e um exame de sangue pode dar-lhe a resposta.