Boa Fibra, Má Fibra – Como os Diferentes Tipos de Fibra Afetam Você

A fibra pode influenciar muitos aspectos da saúde. A partir de bactérias do intestino para perda de peso, é muitas vezes considerada a parte fundamental de uma dieta saudável. A maioria das pessoas têm uma compreensão muito básica sobre a fibra e tendem a misturar tudo em uma só categoria. No entanto, a verdade é que nem todas as fibras são iguais. Alguns tipos são altamente benéficos, enquanto outros podem causar problemas digestivos em algumas pessoas. Este artigo explica tudo o que você precisa saber sobre os diferentes tipos de fibras.

Healthy Foods

O Que É a Fibra e Como São Classificados os Diferentes Tipos?

“Fibra” refere-se a um grupo diversificado de carboidratos que os humanos não conseguem digerir. Temos falta de enzimas digestivas necessárias para quebrá-las, então, as fibras passam a maior parte do sistema digestivo inalteradas. A ingestão recomendada é de 38 gramas para homens e 25 gramas para as mulheres. No entanto, a maioria das pessoas só estão comendo cerca da metade disso, ou 15-17 gramas por dia. Fibra é encontrada principalmente em alimentos de origem vegetal, incluindo legumes, frutas, legumes, grãos integrais, nozes e sementes. Na verdade, existe uma enorme variedade de diferentes fibras encontradas nos alimentos. O problema é que as fibras são muitas vezes classificadas de maneiras diferentes, que podem ser altamente confusas. Em 2001, a fibra foi formalmente classificada em dois tipos principais:

  • Fibra Dietética: Fibra encontrada naturalmente nos alimentos.
  • Fibra Funcional: A fibra que é extraída e isolada a partir de alimentos integrais e adicionados a alimentos processados.

No entanto, a classificação da fibra desta maneira, não nos diz absolutamente nada sobre os seus efeitos na saúde. Um método alternativo popular é a classificação de fibra com base na sua solubilidade (vs solúvel insolúvel), a viscosidade (viscosidade vs não-viscoso) e fermentação (fermentável vs não fermentável). Depois, há ainda uma outra classe de nutrientes chamados amidos resistentes, que são muitas vezes classificadas como fibras dietéticas.

Resumo: As fibras são carboidratos não digeríveis encontrados naturalmente em alimentos vegetais. Elas são muitas vezes classificados como dietético (encontrado naturalmente) ou funcional (adicionado a alimentos).

Fibra Solúvel vs Insolúvel

A solubilidade da fibra refere-se à sua capacidade de dissolver-se em água. Com base nisso, a fibra tem sido muitas vezes classificada como solúvel ou insolúvel

  • Fibra Solúvel mistura-se com água no intestino, formando uma substância semelhante a um gel. A fibra solúvel pode reduzir os picos de açúcar no sangue e tem vários benefícios para a saúde metabólica.
  • Fibra Insolúvel não se mistura com a água e passa através do sistema digestivo intacta em sua maioria. A fibra insolúvel funciona principalmente como um agente de “volume” e pode ajudar a acelerar a passagem dos alimentos e dos resíduos através de seu intestino.

As fibras solúveis incluem as gomas, pectinas, psyllium, os beta-glucanos e outros. As fibras insolúveis incluem a lenhina e a celulose. Diferentes alimentos vegetais possuem diferentes proporções de fibras solúveis e insolúveis.

Resumo: A fibra é muitas vezes classificada com base em sua capacidade de dissolver-se em água. A fibra solúvel tem vários benefícios para a saúde metabólica. A principal é quanto as funções de fibras insolúveis, como um agente de volume.

Fibra Fermentável

Estima-se que 100 bilhões de bactérias vivas residem no intestino humano, principalmente no intestino grosso. Estas bactérias são realmente cruciais para uma boa saúde. Elas desempenham várias funções relacionadas com a gestão de peso, controle de açúcar no sangue, a imunidade, a função do cérebro e saúde mental. As bactérias presentes no intestino são importante, pois são muitas vezes vistas como um “órgão esquecido”. Porque os seres humanos não conseguem digerir fibras, pois as fibras chegam no intestino grosso, inalteradas. É nesse momento que a fibra fermentável entra em questão. As fibras fermentáveis são fibras que as bactérias amigáveis do intestino ​​são capazes de digerir (fermentação) e utilizá-las como combustível. Isso aumenta o número e o equilíbrio das bactérias intestinais, que também produzem ácidos graxos de cadeia curta com benefícios poderosos para sa saúde. A maioria das fibras fermentáveis ​​são solúveis, mas existem algumas fibras insolúveis que podem funcionar desta maneira. As fibras fermentáveis ​​compreendem as pectinas, os beta-glucanos, goma de guar, inulina e oligofrutose. As melhores fontes integrais de fibras fermentáveis ​​são os feijões e as leguminosas. O equivalente a um copo, fornece até a metade da ingestão diária recomendada de fibra. Tudo o que está sendo dito, um dos subprodutos da fermentação da fibra é o gás. É por isso que os alimentos ricos em fibra fermentável podem causar flatulência e desconforto estomacal, especialmente se as pessoas não estão acostumadas a comer uma grande quantidade de fibras.

Bottom Line: fibra fermentável é digerido e usado como combustível pelas bactérias amigáveis ​​no intestino. Isto pode conduzir a vários efeitos benéficos sobre a saúde.

Fibra viscoso

Alguns tipos de fibras solúveis formam um gel espesso, quando eles se misturam com água. Essa substância é conhecida como fibra viscosa. Simplificando, a viscosidade de um fluido refere-se a sua “espessura”. Por exemplo, o mel é mais viscoso do que a água. Quando você come fibra viscosa, ele forma uma substância gelatinosa que assenta no intestino. Isto retarda a digestão e absorção de nutrientes, resultando numa prolongada sensação de saciedade e diminuição do apetite. Uma revisão de 44 estudos sobre tratamentos de fibra descobriram que fibras viscosas melhorou a ingestão de alimentos e causou perda de peso. As fibras viscosas incluem glucomanano, beta-glucanos, pectinas, goma de guar e psílio. As boas fontes incluem os legumes, aspargos, couve de Bruxelas, aveia e as sementes de linhaça.

Resumo: as fibras viscosas formam uma substância gelatinosa que se assenta no intestino, levando a sentimentos de plenitude, redução do apetite e perda de peso.

Amidos Resistentes

Amidos são os principais tipos de carboidratos na dieta. Eles são de cadeias longas de moléculas de glicose, encontrada em batatas, grãos e muitos outros alimentos. Alguns amidos são, na verdade, resistentes à digestão, de modo a passar através do sistema digestivo inalterados. Este tipo de amido é chamado amido resistente e funciona como fibra solúvel fermentável no intestino. O amido resistente tem inúmeros benefícios poderosos à saúde. Além disso, melhora a saúde digestiva, aumenta a sensibilidade à insulina, reduz os níveis de açúcar no sangue e reduz significativamente o apetite. Há vários boas fontes de alimentos ricos em amido resistente: bananas verdes, vários legumes, castanhas de caju e aveia crua. Além disso, alguns alimentos ricos no amido, tendem a formar grandes quantidades de amido resistente, se forem secos depois de cozinhar. Isso inclui batatas brancas e arroz branco. A fécula crua da batata também é muito rica em amido resistente e algumas pessoas usam como suplemento.

Resumo: O amido resistente é um tipo de amido que escapa a digestão. Funciona como, fibra solúvel fermentável, e tem inúmeros benefícios à saúde.

Fibras Únicas que São Benéficas  e Destacáveis

Várias fibras têm implicações específicas para a saúde e são dignas de destaque.

Frutanos

Um frutano é o termo utilizado para descrever uma pequena cadeia de moléculas de frutose. A oligofrutose e inulina são as duas principais variedades de frutanos na dieta. Esses tipos de frutanos podem alimentar as bactérias amigáveis no intestino e mostrou eficácia para tratar alguns tipos de diarreia. No entanto, os frutanos também são classificados como FODMAPs, tipos de hidratos de carbono que se causam problemas digestivos em muitas pessoas. Na verdade, os frutanos e outros FODMAPs desencadeiam  sintomas adversos em 3 de cada 4 pessoas com síndrome de intestino irritável, uma doença digestiva comum. A maior fonte de frutanos na dieta moderna é o trigo.

Beta-Glucano

Os benefícios para a saúde dos beta-glucanos, têm sido extensivamente documentados. Estas fibras têm uma estrutura molecular específica, que os torna altamente viscoso no intestino. Os beta-glucanos podem melhorar a sensibilidade à insulina e diminuir os níveis de açúcar no sangue. Além de poder também, reduzir significativamente os níveis de colesterol e aumentar a sensação de saciedade. As principais fontes alimentares dos beta-glucanos são aveia e cevada.

Glucomano

Glucomanano é uma fibra viscosa que é vulgarmente comercializada como suplemento para a perda de peso. Muitos estudos mostram que o glucomanano pode, modestamente, causar perda de peso, combater a constipação e melhorar os fatores de risco para a doença cardíaca.

Resumo: Frutanos são fibras que podem causar sintomas adversos no sistema digestivo. Os beta-glucanos e glucomanos são fibras viscosas solúveis com benefícios potentes para a saúde.

Conclusão

As fibras solúveis são viscosas e fermentáveis parecem ser as mais saudáveis, de longe. Os amidos resistentes também são incrivelmente saudáveis. Boas fontes de fibras saudáveis compreendem os vegetais, frutas, aveia, legumes, nozes, chocolate escuro, abacate, sementes de chia e vários outros alimentos. No entanto, provavelmente não há necessidade de se obcecar pelos detalhes aqui. Enquanto você estiver comendo alimentos vegetais integrais, isso deve ser o suficiente para a ingestão de fibra cuidar de você.

8 Benefícios para Saúde da Aloe Vera

A aloe vera é uma planta medicinal popular, já utilizada por milhares de anos. Aqui estão 8 benefícios saudáveis da Aloe vera, suportados pela ciência. A aloe vera é mais conhecida pelo tratamento de lesões da pele, como queimaduras e feridas, mas também pode ter várias outras propriedades terapêuticas.

Aloe-Vera

1. Aloe Vera Possui Compostos Bioativos que podem Melhorar a Saúde

A aloe vera é uma planta grossa e curta, que armazena água em suas folhas. É amplamente utilizada nas indústrias de cosmético, farmacêutica e alimentar, tem um valor de mercado anual estimado de $ 13000000000 globalmente. A aloe vera é bem reconhecida pela sua grossura, com folhas verdes carnudas, que podem crescer até cerca de 12-19 polegadas (30-50 cm) de comprimento. Cada folha da aloe vera é carregada de tecido viscoso que armazena água, o que faz com que as folhas sejam espessas. Este tecido cheio de água e viscoso é o “gel”, associado aos subprodutos da aloe vera. O gel contém a maioria dos compostos bioativos vegetal, incluindo vitaminas, minerais, aminoácidos e antioxidantes.

Resumo: Aloe vera é uma planta medicinal popular, utilizada nas indústrias de cosmético, farmacêutica e alimentícia. Suas folhas são cheias de “gel”, que contém numerosos compostos benéficos.

2. Aloe Vera Tem Propriedades Antioxidante e Antibacterial Potentes

Os antioxidantes são importantes para a saúde. O gel da aloe vera contém antioxidantes poderosos, que pertencem a uma grande família de substâncias conhecidas como polifenóis. Estes polifenóis, juntamente com vários outros compostos da Aloe vera, pode ajudar a inibir o crescimento de certas bactérias, que podem causar infecções em seres humanos.

Resumo: Aloe vera contém vários compostos antioxidantes poderosos. Alguns destes compostos podem ajudar a inibir o crescimento de bactérias nocivas.

3. Aloe Vera Acelera o Cura de Queimaduras

A aloe vera é muito utilizada como uma medicação de superfície (esfregada sobre a pele), em vez de ingerida. A aloe vera tem sido reconhecida como tratamento para feridas, queimaduras, especialmente as queimaduras solares. O FDA aprovou a pomada de Aloe vera como uma medicação de balcão para a pele queimada, por volta de 1959. Os estudos sugerem que se trata de um tratamento tópico eficaz para queimaduras de primeiro e segundo graus. Uma revisão dos estudos experimentais, descobriram que a aloe vera pode reduzir o tempo de cicatrização da queimaduras, por cerca de 9 dias em relação à medicação convencional. A evidência para Aloe vera com intuito de curar outros tipos de feridas, ainda é inconclusiva.

Resumo: Aplicação da Aloe vera sobre queimadura, pode acelerar o processo de cicatrização. A evidência é inconclusiva para outros tipos de feridas.

4. Suco de Aloe Vera Puro Reduz as Placas Dentais Tão Efetivamente Quanto um Bochecho

As cáries e as doenças de gengiva são problemas de saúde muito comuns. Uma das melhores maneiras de evitar que esses problemas dentários aconteçam, é reduzindo o acúmulo da placa bacteriana (biofilme bacteriano) dos dentes. Um estudo, com 300 pessoas saudáveis, utilizou o suco 100% puro de aloe vera, comparado com a clorexidina padrão. Após 4 dias de uso, o Aloe vera boca mostrou o mesmo potencial que a clorexidina na redução de placa dental. Um outro estudo encontrou benefícios semelhantes a da Aloe vera, quando utilizado durante um período de 15 a 30 dias. A aloe vera faz isso, mata as bactérias Streptococcus mutans, produtoras de placa dentais na boca, bem como a levedura Candida albicans.

Resumo: Quando usado como um enxaguante bucal, o suco de Aloe vera puro é tão eficaz na redução do acúmulo da placa dental, como um antiséptico bucal comercial.

5. Aloe Vera pode ser Útil no Tratamento de Úlcera na Boca  (Aftas)

Muitas pessoas já experienciaram, em algum momento de suas vidas, as úlceras na boca, ou as conhecidas aftas. As aftas geralmente formam-se debaixo do lábio, no interior da boca e dura cerca de 7-10 dias. Estudos mostram convincentemente que o tratamento de Aloe vera pode acelerar a cicatrização dessas úlceras da boca. Em um estudo de 7 dias com 180 pessoas aftas recorrentes, com um simples tratamento de aloe vera aplicada na área foi eficaz na redução do tamanho das úlceras. No entanto, não ultrapassar o tratamento da úlcera convencional, pois é corticosteróides. Em outro estudo, o gel de aloe vera, não só acelerou a cicatrização das úlceras da boca, como também reduziu a dor associada a eles.

Resumo: Aplicação de Aloe vera, quer como um adesivo ou gel, demonstrou ajudar na recuperação das úlceras da boca (aftas).

6. Aloe Vera pode Ajudar no Tratamento de Constipação

A aloe vera vem sendo utilizada para tratar a constipação. Desta vez, não é o gel, mas o látex, que fornece os benefícios. O látex é um resíduo amarelo pegajoso encontrado logo abaixo da pele da folha. O composto principal responsável por este efeito é chamado de aloína, ou barbaloina, que tem bem estabelecido efeitos laxativos. No entanto, algumas preocupações foram levantadas sobre questões de segurança com o uso freqüente. Por esta razão, o látex da aloe vera não era disponível nos EUA como uma medicação de balcão até o ano de 2002. Ao contrário da crença popular, a aloe vera não parece ser eficaz contra outras doenças digestivas, como a síndrome do intestino irritável (SII) e a doença inflamatória do intestino (DII).

Resumo: O látex da Aloe Vera tem fortes efeitos laxantes, tornando-o útil para tratar a constipação.

7. Aloe Vera pode Melhorar a Elasticidade da Pele e Ajudar na Prevenção de Rugas

Há alguma evidência preliminar de que o gel de Aloe vera pode retardar o envelhecimento da pele. Num estudo de 30 mulheres com mais de 45 anos de idade, a aplicação superficial do gel mostrou o aumento da produção de colágeno e do melhoramento e a elasticidade da pele durante um período de 90 dias. Outro estudo descobriu que a Aloe vera reduz a eritema (vermelhidão da pele), mas também foi encontrado evidências de desidratação das células da pele. Há muito pouca evidência de que a Aloe vera pode tratar condições de pele como psoríase e dermatite de radiação.

Resumo: Evidências preliminares sugerem que a aloe vera pode ter efeitos anti-envelhecimento na pele, mas ainda é necessário mais investigação.

8. Aloe Vera Pode Diminuir os Níveis de Acúcar no Sangue em Diabéticos

A aloe vera é pode ser encontrado na forma de remédio tradicional para diabetes. Diz-se que melhora a sensibilidade à insulina e ajuda a melhorar a gestão de açúcar no sangue. Vários estudos em humanos e animais em diabéticos tipo 2, têm realmente encontrado resultados promissores de consumo do extrato de Aloe vera. No entanto, a qualidade destes estudos foi relativamente baixa, de modo que é definitivamente prematuro, a recomendação de aloe vera para esta finalidade. Além disso, existem casos de danos no fígado, relatado ser devido a ingestão à longo prazo de suplementos de aloe vera.

12 Benefícios do Romã (No. 8 é Impressionante)

As romãs estão entre as frutas mais saudáveis do planeta. As romãs contêm uma gama de compostos vegetais benéficos, inigualáveis a outros alimentos. Muitos estudos mostram que as romãs benefícios incríveis para o seu corpo e pode reduzir o risco de vários tipos de doenças. Aqui estão 12 benefícios saudáveis da romã, que são apoiados por pesquisa científica moderna.

Romã

1. Romã é Carregado de Nutrientes Importantes

A romã, Punica granatum, é um arbusto que produz uma fruta vermelha. Categorizado como uma baga, a fruta romã é cerca de 5-12 cm de diâmetro. É vermelha, redonda e parece um tipo de maçã vermelha, com uma haste em forma de flor. A pele da romã é espessa e não é comestível, mas há centenas de sementes comestíveis, chamadas arils. Os arils são o que as pessoas comem, cru ou transformado em suco de romã. A romã têm um perfil nutricional impressionante:

Uma xícara de arils (174 gramas) contém:

  • Fibra: 7 gramas.
  • Proteína: 3 gramas.
  • Vitamina C: 30% da recomendação diária.
  • Vitamina K: 36% da recomendação diária.
  • Folato: 16% da recomendação diária.
  • Potássio: 12% da recomendação diária.

Os arils da romã (sementes) são bem doces. Um copo contém 24 gramas de açúcar e 144 calorias. No entanto, as romãs realmente brilham pelo seu teor de compostos vegetais poderosos, com propriedades medicinais potentes.

Resumo: A romã é uma fruta que contém centenas de sementes comestíveis chamadas arils. Os arils são ricos em fibras, vitaminas, minerais e compostos vegetais bioativos, mas eles também contêm açúcar.

2. Romã Contém Dois Compostos Vegetais com Propriedade Medicinal Poderosa

Existem duas substâncias únicas nos romãs que são responsáveis pela maior parte dos seus benefícios para a saúde.

Punicalaginas

As punicalaginas são antioxidantes poderosos extremamente encontrados no suco e na casca do romã. As punicalaginas são tão poderosas que o suco de romã, que possui três vezes a atividade antioxidante do vinho tinto e chá verde. O extrato da romã ou em pó, é tipicamente feito a partir da casca, devido ao seu elevado teor de antioxidante e punicalagina.

Ácido ‘Punicic’

O ácido ‘punicic’, também conhecido como óleo de sementes de romã, é o principal ácido gordo nos arils. É um tipo de ácido linoleico conjugado, com efeitos biológicos potentes.

Resumo: Romã contém punicalaginas e ácido punicic, substâncias únicas que são responsáveis pela maior parte dos seus benefícios para a saúde.

3. Romã Tem Efeitos Anti Inflamatórios Impressionantes

A inflamação crônica está entre os principais condutores de muitas doenças mortais. Isto inclui doenças cardíacas, câncer, diabetes tipo 2, doença de Alzheimer e até mesmo obesidade. A romã tem propriedades anti inflamatórias potentes, das quais são largamente mediadas pelas propriedades antioxidantes das punicalaginas. Estudos com tubos de ensaio mostraram que a romã pode reduzir a atividade inflamatória no trato digestivo, bem como ações contra o câncer de mama e células do câncer de cólon. Um estudo em diabéticos descobriu que 250 ml do sumo de romã por dia, durante 12 semanas, reduziu os marcadores CRP inflamatórios e da interleucina-6 em 32% e 30%, respectivamente.

Resumo: Os punicalagins em suco de romã foram mostrados para reduzir a inflamação, um dos principais condutores de muitas doenças mortais.

4. Romã pode Ajudar a Combater o Câncer de Próstata

O câncer de próstata é o tipo mais comum de câncer nos homens. Estudos de laboratório mostraram que o extrato de romã pode reduzir a velocidade da reprodução das células de câncer, e até mesmo induzir a apoptose (morte celular) das células cancerosas. O PSA (antigênio específico da próstata) é um marcador de sangue para o câncer da próstata. Os homens cujos níveis de PSA dobreram em um curto período de tempo, estão em maior risco de morte por câncer de próstata. Curiosamente, um estudo em humanos descobriram que 237 ml de suco de romã por dia aumentou o tempo de duplicação da PSA de 15 meses para 54 meses, que é enorme. Um estudo de acompanhamento constatou melhorias semelhantes, usando um tipo de extrato de romã chamado POMx.
Resumo: Há uma evidência preliminar de que o sumo da romã pode ser útil em homens com câncer de próstata. Um inibidor potencial do crescimento do câncer, o que reduz o risco de morte.
5. Romã também pode Ser Útil Contra o Câncer de Mama
O câncer de mama é o tipo mais comum de câncer nas mulheres. O extrato do romã tem demonstrado inibir a reprodução de células do câncer de mama e pode mesmo matar algumas delas. No entanto, os estudos de laboratório ainda são limitados e mais pesquisas são necessárias.

Resumo: Estudos de laboratório mostraram que o extrato de romã pode ajudar a combater células cancerosas da mama, mas estudos em humanos são necessários para confirmar isso.

6. Romã pode Diminuir a Pressão do Sangue  

A pressão arterial elevada (hipertensão) é um dos principais condutores de ataques cardíacos e derrames. Em um estudo, pessoas com pressão arterial elevada tiveram uma redução significativa depois de consumir 150 ml de suco de romã por dia, durante 2 semanas. Outros estudos encontraram efeitos semelhantes, especialmente para a pressão arterial sistólica (o número mais alto na leitura da pressão arterial).

Resumo: A ingestão regular do suco de romã mostra eficácia na redução dos níveis da pressão arterial em menos de duas semanas.

7. Romã pode Ajudar a Combater a Artrite e as Dores nas Juntas

A artrite é um problema comum nos países ocidentais. Existem muitos tipos diferentes, mas a maioria deles envolve alguma forma de inflamação nas articulações. Os compostos vegetais da romã tem efeitos antiinflamatórios e fazem sentido que os compostos da romã possam ajudar a tratar a artrite. Curiosamente, estudos de laboratório mostraram que o extrato de romã pode bloquear enzimas capazes de danificar as articulações em pessoas com osteoartrite. Além desse efeito, o extrato de romã também demonstrou ser benéfico contra a artrite em experimentos com ratos, mas há pouca evidência em seres humanos até agora.

Resumo: Estudos em animais e células isoladas mostraram que o extrato de romã pode ser benéfico contra várias formas de artrite, mas a pesquisa humana é necessária.

8. Suco de Romã pode Diminuir o Risco da Doença Cardíaca

A doença cardíaca é atualmente a causa mais comum do mundo, da morte prematura. É uma doença complicada, impulsionada por muitos fatores diferentes. O ácido ‘punicic’, o principal ácido gordo na romã, pode ajudar a proteger contra vários processos da doença cardíaca. Num estudo em 51 pessoas com colesterol e triglicerídios altos, foi usado a quantidade de 800 miligramas de óleo de semente de romã por dia, durante 4 semanas, mostrou melhora significativa nos índices de triglicerídios: HDL. Outro estudo analisou os efeitos do suco de romã em pessoas com diabetes tipo 2 e com níveis elevados de colesterol. O estudo observou que houveram reduções significativas nos níveis do colesterol LDL, assim como outras melhorias. O sumo de romã, também demonstrou, tanto em estudos com animais como com humanos, potencial para proteger as partículas de colesterol LDL da oxidação, um dos passos chave no sentido de uma doença cardíaca.

Resumo: Vários estudos em humanos demonstraram que a romã pode ter benefícios contra doenças cardíacas. Além disso, melhora o perfil do colesterol LDL e protege contra danos oxidativos.

9. Suco de Romã pode Ajudar a Tratar a Disfunção Erétil

O dano oxidativo pode prejudicar o fluxo de sangue em todas as áreas do corpo, incluindo o tecido erétil. O sumo de romã demonstrar benefícios no aumento do fluxo sanguíneo e a resposta erétil em experimentos feitos com coelhos. Num estudo de 53 homens com disfunção erétil, a romã pareceu ter algum benefício, mas o resultado não foi estatisticamente significativo.
Resumo: O suco de romã tem sido associado com sintomas reduzidos da disfunção erétil, mas ainda é necessário uma investigação profunda para certificações.

10. Romã pode ajudar a Combater Infecções de Bactérias e Fungos  

Os compostos vegetais da romã podem ajudar a combater microorganismos nocivos. Por exemplo, esses compostos têm-se mostrado benéficos contra alguns tipos de bactérias, assim como a levedura Candida albicans. Os efeitos anti-bacterianos e anti-fúngicos podem também ser fatores protetores contra infecções e inflamação na boca. Isso inclui condições como a gengivite, periodontite e estomatite protética.

Resumo: Romã tem propriedades antibacterianas e antivirais, das quais podem ser úteis contra doenças comuns nas gengivas.

11. Romã pode ajudar a Melhorar a Memória

Há evidências de que a romã pode melhorar a memória. Num estudo em pacientes cirúrgicos, que utilizaram 2 gramas do extrato de romã, impediu déficits na memória pós-cirurgia. Outro estudo, em 28 indivíduos idosos com queixas de memória, descobriram que 237 ml do suco de romã por dia, melhorou significativamente os marcadores da memória verbal e visual. Há também algumas evidências de estudos com ratos, que a romã pode ajudar a combater a doença de Alzheimer.

Resumo: Algumas evidências mostram que a romã pode melhorar a memória em idosos e em pacientes pós-cirúrgicos. E estudos feitos com ratinhos, sugerem que a romã pode proteger contra a doença de Alzheimer.

12. Romã pode Melhorar a Performance em Exercício Físico

A romã é rica em nitratos alimentares, que mostram melhorar o desempenho durante o exercício físico. Em um estudo com 19 atletas correndo em uma esteira, 1 grama de romã, 30 minutos antes do exercício, aumentou significativamente o fluxo sanguíneo. Isto levou a um atraso no aparecimento da fadiga e à um aumento na eficiência do exercício. Mais estudos são necessários, mas parece que a romã pode ser benéfico para o desempenho físico, semelhante ao suco de beterraba.