Benefícios da Pimenta para Saúde

As pimentas são conhecidas pelo paladar quente. Elas são membros da família das solanáceas, relacionadas ao tomate de sino e pertencentes a uma espécie conhecida cientificamente como Capsicum annuum. Existe uma variedade de pimentas, como caiena e jalapenos. As pimentas são utilizadas principalmente como especiarias ou como ingredientes menores em vários pratos, misturas de especiarias e molhos. Elas são normalmente consumidas cozidas ou secas e em pó, que formam a conhecida páprica. A capsaicina é o principal composto vegetal bioativo nas pimentas, responsável ​​pela pungência exclusiva do paladar quente. Existem pimentas de várias cores, a mais comum são as verdes (imaturas) e as vermelhas. As pimentas frescas são compostas principalmente de água (88%) e carboidratos (9%).

beneficios-da-pimenta

Vitaminas e Minerais

As pimentas são ricas em vitaminas e minerais. No entanto, uma vez que são consumidas em pequenas quantidades, a sua contribuição para a ingestão diária é muito pequena.

Vitamina C: As pimentas são muito ricas em vitamina C. A vitamina C é um poderoso antioxidante, importante para a cicatrização de feridas e função imunológica.

Vitamina B6: A família de vitaminas do complexo B, alguns dos quais têm funções importantes no metabolismo de energia.

Vitamina K1: Também conhecida como filoquinona, a vitamina K1 é essencial para a coagulação do sangue, ossos e rins saudáveis.

Potássio: um mineral essencial na dieta que tem uma variedade de funções no corpo. A ingestão adequada de potássio pode reduzir o risco de doença cardíaca.

Cobre: ​​O cobre, que muitas vezes faltam na dieta ocidental,   é um antioxidante essencial, importante para ossos fortes e neurônios saudáveis.

Vitamina A: As pimentas vermelhas são ricas em beta-caroteno, que é convertido em vitamina A no organismo.

Conclusão: As pimentas são ricas em várias vitaminas e minerais, mas elas geralmente são consumidas em pequenas quantidades, assim não contribuem significativamente para a ingestão diária de nutrientes.

Outros Compostos Vegetais

As pimentas são uma rica fonte de capsaicina, substância picante e quente. Elas também são muito ricas em antioxidantes carotenoides, ligados a inúmeros benefícios para a saúde. Aqui estão os principais compostos vegetais bioativos nas pimentas:

Capsantina: O principal carotenoide das pimentas vermelhas, responsável por sua cor vermelha e responsável por até 50% do total de carotenoides. Suas poderosas propriedades antioxidantes podem atuar contra o câncer.

Violaxantina: O principal antioxidante carotenoide em pimentas de pimentão amarelo, sendo responsável por 37-68% do total de carotenoides.

Luteína: A mais abundante no verde (imaturo) da pimenta, os níveis de luteína diminuem com a maturação. O alto consumo de luteína tem sido associado à melhoria da saúde ocular.

Capsaicina: Um dos compostos vegetais mais estudados da pimenta. Ele é responsável pelo sabor picante (quente) e muitos dos efeitos saudáveis.

Ácido Sinápico: Um antioxidante, também conhecido como ácido sinapínico. Ele tem vários benefícios à saúde.

Ácido Ferúlico: Da mesma forma que o ácido sinápico, o ácido ferúlico é um antioxidante que pode ajudar a proteger contra várias doenças crônicas. O conteúdo antioxidante das pimentas maduras do pimentão é muito maior do que as pimentas imaturas (verdes).

Conclusão: As pimentas são ricas em compostos vegetais antioxidantes, associados a vários benefícios à saúde. O mais notável é a capsaicina, que é responsável pelo sabor pungente da pimenta.

Benefícios Saudáveis da Pimenta

Alívio da Dor

A capsaicina, o principal composto vegetal bioativo da pimenta, tem algumas propriedades únicas. Ela se liga com os receptores da dor, que são terminações nervosas que causam a dor. Isso induz a uma sensação de queimação, mas na verdade não causa quaisquer ferimentos reais. Mesmo assim, o alto consumo de pimenta (ou capsaicina) pode danificar os receptores de dor ao longo do tempo, causando  falta de sensibilidade ao sabor ardente da pimenta. A capsaicina também faz com que esses receptores de dor insensíveis a outras formas de dor, como a azia, causada pelo refluxo ácido. Um estudo mostrou que, quando pimentas vermelhas (2,5 g/dia) foram dadas a pacientes com azia (dispepsia) piorou a dor no início do tratamento de 5 semanas e melhorou progressivamente ao longo do tempo. Isto é suportado por um outro pequeno estudo: 3g de pimentão por dia, durante 6 semanas, melhorou a azia em pacientes com refluxo ácido. O efeito dessa falta de sensibilidade não parece ser permanente e um estudo descobriu que ela foi revertida de 1 a 3 dias após o consumo da capsaicina ser interrompido.

Perda de Peso

A obesidade é uma condição de saúde grave que aumenta o risco de muitas doenças crônicas, como doenças cardíacas e diabetes. Há alguma evidência que a capsaicina, um composto vegetal das pimentas, pode promover a perda de peso, reduzindo o apetite e aumentando a queima de gordura. Na verdade, os estudos mostram que 10 gramas de pimenta vermelha podem aumentar significativamente a queima de gordura, tanto em homens como em mulheres. A capsaicina também pode reduzir a ingestão de calorias. Um estudo realizado em 24 consumidores regulares de pimenta descobriu que a capsaicina ingerida antes de uma refeição, leva a redução da das calorias ingeridas. Outro estudo encontrou uma redução significativa no apetite e no consumo de energia, sobretudo para aqueles que consumiam moderadamente a pimenta. Nem todos os estudos garantem a eficácia da pimenta. Apesar das evidências, verifica-se que o consumo regular de pimentas vermelhas, ou suplementos à base de capsaicina, pode ser útil na perda de peso, quando combinado com outras estratégias que sustentam a vida saudável. No entanto, elas não são tão eficazes por conta própria; a tolerância aos efeitos da capsaicina pode desenvolver-se ao longo do tempo, o que limita a sua utilidade.

Conclusão: Elas podem pode ajudar a aliviar a dor causada pelo refluxo ácido e também promovem a perda de peso, quando combinadas com outras estratégias, dentro de um estilo de vida saudável.

Efeitos Adversos e Preocupações

Como a maioria dos alimentos, a pimenta pode ter efeitos adversos em alguns indivíduos e muitas pessoas não gostam da sensação de queimadura característico do tradicional sabor quente.

Sensação de Queimadura

As pimentas são conhecidas pelo sabor quente que queima os lábios. A substância responsável é a capsaicina, que se liga com aos receptores da dor e provoca uma sensação de queimação intensa. Por esta razão, um extrato de pimenta chamado “capsicum oleorresina” é o principal ingrediente de spray de pimenta. Em grandes quantidades, causa grave dor, inflamação, inchaço e vermelhidão. Ao longo do tempo, a exposição à capsaicina pode causar certos insensibilidade e dor nos neurônios.

Dor de estômago e diarreia

Comer a pimenta pode causar desconforto intestinal em algumas pessoas. Os sintomas podem incluir dor abdominal, sensação de queimação no estômago, cólicas e diarreia dolorosa. Isso é mais comum em pessoas com síndrome do intestino irritável. A pimenta pode piorar temporariamente os sintomas em pessoas que não estão acostumadas a comer regularmente. Por esta razão, as pessoas com síndrome do intestino irritável devem limitar o consumo de pimenta e outros alimentos picantes.

Risco de Câncer

O câncer é uma doença grave caracterizada por crescimento anormal de células. Há evidências sobre o efeito da pimenta sobre o câncer. Experimentos em tubos de ensaio e estudos em animais indicam que a capsaicina, um composto vegetal em pimentas, pode aumentar ou diminuir o risco de câncer. Estudos observacionais em humanos têm ligado o consumo das pimentas ao aumento do risco de câncer, especialmente na vesícula biliar e estômago. Além disso, comer pimenta em pó vermelho foi encontrado pode ser um fator de risco para o câncer de boca e garganta na Índia. Tenha em mente que os estudos observacionais não podem provar que a pimenta causou câncer, mas que as pessoas que comiam pimentas eram mais vulneráveis. Outros estudos são necessários para determinar se o consumo pesado da pimenta, ou a suplementação à base de capsaicina é seguro em longo prazo.

Conclusão: Pimentas não são boas para todos. Elas causam uma sensação de queimação, há possibilidade de dor no estômago e diarréia em alguns indivíduos. Alguns estudos têm relacionado o consumo da pimenta ao câncer.

Mensagem pra Casa

As pimentas são uma especiaria popular em muitas partes do mundo, bem conhecidas por seu sabor quente e pungente. Elas são ricas em vitaminas, minerais e compostos vegetais únicos. Isso inclui a capsaicina , a substância que provoca a sensação de queimação na boca. A capsaicina está ligada a vários benefícios saudáveis, assim como efeitos adversos. Por um lado, a pimenta pode ajudar a promover a perda de peso e aliviar a dor, se consumida regularmente. Por outro lado, provoca uma sensação de queimação, que é desagradável para muitas pessoas, especialmente àqueles que não estão acostumados a comer pimenta. Ao consumir a pimenta corre-se o risco do desconforto digestivo e alguns estudos têm associado a pimenta ao câncer, embora as evidências sejam muito limitadas. No final do dia, usar pimenta como tempero pode ser saudável para muitas pessoas, porém para aqueles que possuem a sensibilidade digestiva, é bom se afastar.

Recomendados Para Você:

About Fernando 122 Articles
Fernando Muniz tem 28 Anos, casado, pai de dois Filhos [Maria e Bernardo] e sempre teve uma alimentação muito desregrada e com isso ativou o EFEITO SANFONA na sua vida perdendo e ganhando peso de forma constante, com esse acervo de nutrição ele gostaria de ajudar mais pessoas a superar de uma vez por toda o sobrepeso, obesidade e o efeito sanfona, é nisso que eu acredito.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*